Os bancos brasileiros já começaram a se preparar para o mutirão de renegociação de dívidas, que acontecerá na próxima semana, entre os dias 2 e 6 de dezembro. O esforço é parte de um acordo firmado entre o BC (Banco Central) e a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) para reduzir o endividamento da população e estimular a educação financeira.

Como vai funcionar o mutirão? Ao longo dos cinco dias, seis bancos (Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander) vão renegociar dívidas bancárias de clientes por meio dos canais digitais e do horário de funcionamento estendido (até às 20h) de 261 agências em Brasília e nas capitais dos 26 estados.

Ao chegar às agências, os interessados deverão assistir a um vídeo preparado pelas duas entidades, com orientações gerais sobre planejamento financeiro, e receber uma cartilha com informações sobre o tema. A partir daí, inicia-se diretamente a fase da renegociação, quando os acordos serão fechados.

Quais vão ser as condições oferecidas a quem quer renegociar? 6 Minutos procurou os seis bancos envolvidos para saber mais detalhes sobre quais as regras para quem quiser pagar as dívidas. Veja abaixo um resumo de cada instituição:

Itaú

O maior banco privado do país vai ter 81 agências funcionando até mais tarde, além das mais de 4.700 unidades que vão funcionar em horário normal, para atender aos clientes que preferirem negociar pessoalmente. Mas também será possível falar sobre as dívidas no aplicativo, no site e nos canais de atendimento telefônico.

As dívidas com mais de 90 dias de atraso poderão ser reparceladas com taxas a partir de 1,99% ao mês e terão um prazo de 30 dias para o pagamento da primeira parcela. Já os débitos que estão pendentes há mais de um ano poderão ter um desconto de 90% no saldo total e ser renegociados em até 6 vezes (com parcelas fixas), ou até em 60 vezes, com acréscimo de juros sobre o valor devido.

Santander

Assim como o Itaú, o Santander oferecerá descontos de até 90% no valor das dívidas com atraso superior a 60 dias — o percentual será avaliado caso a caso. Já as pendências com até 60 dias de atraso poderão ter 20% de desconto.

“É nosso papel, como instituição financeira, entender o momento do cliente e oferecer as condições necessárias para que ele tenha o orçamento em dia”, afirma Gustavo Alejo, diretor de Produtos de Crédito e Recuperações do Santander Brasil.

Essas condições vão valer para débitos no crédito pessoal, consignado, capital de giro, conta garantida, Santander Master, descontos de recebíveis e cartão de crédito. As conversas de renegociação poderão ser pelos canais de relacionamento do banco (aplicativo, central telefônica, site e agências). Algumas agências, aliás, também funcionarão em horário estendido — o Santander diz que divulgará as localidades neste site.

Caixa

O banco oferecerá atendimento nas mais de 4.000 agências e também nos caminhões de adimplência, que ficarão nas cidades de Araraquara (SP), Pelotas (RS), Araguari (MG) e São Luis (MA). Além disso, a Caixa também terá uma agência em cada capital do país funcionando em horário estendido, até às 20h.

Quem pagar à vista poderá conseguir um desconto de até 90% em dívidas com mais de um ano de atraso. Também será possível reunir várias dívidas atrasadas em uma única renegociação e parcelar esse saldo em até 96 meses.

A novidade em relação aos outros bancos é que a Caixa também renegociará dívidas de financiamentos habitacionais. Será possível, por exemplo, dar uma entrada e incorporar os valores em atraso nas demais prestações, permitindo assim que o fluxo de pagamento seja retomado. Outra opção é usar o saldo do FGTS para reduzir em até 80% a prestação do financiamento do imóvel por até 12 meses — mas essa regra só vale para quem tem até três parcelas em atraso.

Bradesco

O Bradesco ainda não definiu as condições para que os clientes renegociem as dívidas. O banco diz apenas que participará do mutirão promovido pelo BC e pela Febraban, e que oferecerá “prazos e taxas diferenciadas” para a reavaliação dos débitos em aberto.

“Vamos realizar intensiva comunicação com clientes potenciais. As agências e canais de atendimento estarão preparadas para atender os clientes com alçada para negociar eventuais sugestões de condições para a renegociação dos pagamentos”, disse o banco, em nota.

Banco do Brasil

O banco público oferecerá um descontinho a mais em relação aos outros. As dívidas poderão ser liquidadas com uma redução de até 92% no saldo total e em prazos que podem chegar a 120 meses. Os clientes também podem conseguir um prazo de até 180 dias de carência — ou seja, o primeiro pagamento da dívida ficará somente para o fim do primeiro semestre de 2020.

Todos os clientes pessoa física, com mais de 30 dias de inadimplência, poderão participar. “Mobilizamos toda a nossa rede para esta ação de enorme relevância e que incentiva a reinclusão das pessoas no mercado de consumo no momento em que aumentamos a velocidade do crescimento econômico”, disse Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil.

Todas as agências do banco estarão habilitadas para renegociar, mas 57 delas ficarão abertas até às 20h. Será possível redefinir as condições da dívida pelo aplicativo do BB, no Portal de Renegociação de Dívidas, em um processo totalmente digital.

Banrisul

O banco gaúcho terá três agências funcionando até às 20h — todas ficam em Porto Alegre (RS). As outras 516 agências também vão atender aos clientes, em horário normal. Quem tiver dívidas com mais de 180 dias em atraso poderá conseguir 90% de desconto, para pagamento à vista, ou poderá parcelar em até 96 meses, com juros a partir de 0,69% ao mês.

Os clientes com débitos em atraso poderão buscar um acordo no portal do banco ou no aplicativo Banrisul Digital.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.