A forte expansão no número de pequenos investidores na Bolsa, além do uso de redes sociais para informação sobre aplicações financeiras, vem levando a um fenômeno inédito até aqui: o uso amplamente disseminado de apelidos para ações de empresas.

Para uma parte dos frequentadores assíduos da Finwit (Financial Twitter, como foi batizada a comunidade do mercado financeiro no Twitter), a empresa do segmento de educação Cogna é Conga, a Via Varejo é mais conhecida como Vara, a  Oi é Tchau, e o frigorífico Marfrig, Churras.

Por trás dessa brincadeira, entretanto, pode se esconder o prejuízo do investidor pessoa física inexperiente.

Analistas ouvidos pelo 6 Minutos alertam que, algumas vezes, essa “familiaridade” excessiva com um papel acaba cegando o pequeno para o risco embutido naquela ação.

Torcida organizada

Em alguns casos, nota-se quase um clima de torcida organizada pelo desempenho de uma empresa, que é a pior postura que alguém pode ter ao entrar no mundo da renda variável.

“Investir é um negócio muito sério. Não se pode vender a ilusão de que a pessoa física que está começando agora vai ficar rica na Bolsa”, aponta o presidente da casa de análises Omninvest, Roberto Attuch. “Não existe atalho. Investimento na Bolsa é para rentabilizar o dinheiro que sobra. É dinheiro que você não vai precisar pelos próximos cinco anos”, pondera.

A desconfiança de gente que entende do riscado é que alguns papéis acabam sendo turbinados de forma proposital para beneficiar alguns poucos influenciadores. “É uma estratégia de marketing de Twitter, Instagram, entre outras redes. Você cria uma legião de seguidores para tentar influenciar preço”, afirma um analista que prefere não ser identificado.

Um exemplo que virou alvo de inúmeros memes nas redes sociais é o da Cogna, empresa que virou um verdadeiro hit entre pequenos investidores durante a pandemia ao ser citada com frequência nas redes sociais.

Na expectativa do sucesso da abertura de capital (IPO) da Vasta, sua subsidiária, muitos compraram opções da Cogna ( pagamento de uma espécie de prêmio pelo direito de comprar o papel a um determinado preço no futuro). O IPO da Vasta acabou sendo mais fraco do que o esperado, o que fez muita gente perder dinheiro –o papel da empresa, quase chegando em R$ 10, caiu para menos de R$ 6.

Esse movimento acabou virando um exemplo do que não se fazer ao começar a investir na Bolsa, e assunto preferencial de piadas nas redes sociais.

“Não é que ações na moda não possam ser um bom investimento. Mas o investidor tem que estar atento ao que está comprando, e não só a burburinho de mercado, que pode render no curto prazo mas não sai disso”, aconselha Luis Sales, analista da Guide Investimentos.

Outro ponto importante: além de aplicar somente os recursos que você não vai precisar nos próximos anos, é importante diversificar. “Não concentre seu dinheiro em poucas ações. Se você tem capacidade para montar uma carteira, se aconselhe com especialistas sérios e diversifique o máximo possível”, diz Attuch.

Day trade em alta

A quarentena imposta pela pandemia de coronavírus, somada às menores taxas de juros que o Brasil já conheceu, vem estimulando que mais e mais investidores pessoa física invistam na Bolsa.

Apenas entre março e julho, 900 mil pequenos passaram a investir na Bolsa. Uma parcela deles decidiu se dedicar ao chamado day trade, que são aquelas compras de ativos financeiros para venda rápida com lucro.

É preciso muito cuidado com a prática, entretanto.

Um estudo realizado pela FGV (Fundação Getulio Vargas) acompanhou o desempenho de todos os investidores que operaram algum minicontrato de dólar ou de Ibovespa (o principal índice da bolsa também é negociado no mercado futuro) entre 2012 e 2017.

De todos os que tentaram operar esses contratos, 92,1% pararam em menos de um ano. Dos que continuaram operando após um ano, 97% perderam dinheiro. Dos 3% que ficaram no azul, a maior parte ganhou menos que R$ 300 por dia.

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.