A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quarta-feira (22) a opção de ampliar, de quatro para seis meses, a pausa no pagamento de prestações do crédito habitacional do Programa Minha Casa Minha Vida e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).

O que isso significa em termos de prazo? Os clientes que já tiveram a pausa temporária de 120 dias concluída poderão prorrogar o prazo por mais 60 dias. Quem ainda não optou por essa alternativa também poderá solicitar a pausa de 180 dias.

No Minha Casa Minha Vida, a opção vale para as faixas 1,5, 2 e 3. A extensão da carência poderá ser pedida a partir da próxima segunda-feira. Quem não pediu a pausa também poderá solicitar a carência por 180 dias.

No começo do mês, o banco estatal, maior financiador do setor imobiliário no país, já havia anunciado carência de 180 dias nos financiamentos de imóveis novos e a renegociação de contratos com clientes em atraso, como forma de combater os efeitos econômicos da pandemia da Covid-19.

Quantos já se valeram dessa medida? Até o momento, mais de 2,4 milhões de mutuários já solicitaram a pausa na prestação habitacional.

É bom lembrar que o contrato não está isento da incidência de juros remuneratórios, seguros e taxas durante a pauta. Os valores dos encargos pausados são acrescidos ao saldo devedor do contrato e diluídos no prazo remanescente. A taxa de juros e o prazo contratados inicialmente não sofrem alteração.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).