O Bradesco fechou nesta quarta-feira (7) acordo com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para encerrar investigação sobre supostas práticas anticompetitivas contra o aplicativo de finanças pessoais GuiaBolso.

Pelo acordo, o banco vai pagar cerca de R$ 23,8 milhões e parar de dificultar acesso a dados pedidos por clientes para uso pelo GuiaBolso, cujos serviços concorrem com parte dos oferecidos por bancos.

Segundo o presidente do Cade, Alexandre Barreto, o acordo “gerará efeitos potencialmente benéficos e pró-competitivos no mercado de serviços financeiros” com “incremento da concorrências”, afirmou em despacho.

A investigação começou em julho de 2018, após uma secretaria (Seprac) do Ministério da Fazenda, hoje Ministério da Economia detectar que clientes do GuiaBolso tinham facilitado acesso a dados de suas contas em bancos, ao incluir suas senhas no aplicativo, enquanto no Bradesco exigia uma senha aleatória adicional para o acesso.

Segundo o presidente e fundador do GuiaBolso, Thiago Alvarez, essa dificuldade praticamente inviabiliza o uso do aplicativo por correntistas do Bradesco, público que o executivo estima em cerca de 1,5 milhão de pessoas. A base de clientes da fintech hoje é de 6 milhões de clientes.

Consultado, o Bradesco não respondeu de imediato sobre o acordo com o Cade. As ações do banco exibiam queda de 1% às 14h37, enquanto o Ibovespa mostrava estabilidade.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).