A B3 começou a oferecer 12 novos BDRs de ETFs nesta segunda-feira (29) para o investidor comum. Com isso, passa a ter 23 opções do tipo.

Os produtos são atrelados a ETFs geridos pela gestora global BlackRock e permitem uma exposição a setores pouco representados no mercado brasileiro, como tecnologia, saúde e biotecnologia, assim como opções de ETFs de ações europeias e de mercados emergentes.

A nova oferta também inclui uma estratégia ESG focada em mercados emergentes, após o sucesso do BEGU39, que investe em ações americanas e representa 25% do total negociado desde o lançamento da plataforma.

O que são esses produtos? O ETF (Exchange Traded Fund) é um fundo negociado em Bolsa que tem como objetivo acompanhar um índice de referência (como o Ibovespa ou o S&P 500, por exemplo). O gestor vai movimentar a carteira de forma que o retorno a ser entregue aos investidores seja idêntico à variação do índice seguido, para cima ou para baixo.

Já o BDR (Brazilian Depositary Receipt) é um certificado emitido aqui no Brasil que representa um papel estrangeiro. O banco depositário compra o ativo estrangeiro (o mais comum é que sejam ações, mas podem também ser cotas de um ETF), emite um recibo e o investidor que comprar esse recibo passa a usufruir dos rendimentos que o ativo teria.

Os BDRs de ETFs oferecidos pela B3, portanto, permitem ao investidor comprar, aqui no Brasil, recibos que dão a ele os mesmos direitos que ele teria se comprasse os ETFs em questão no Exterior.

Quem pode comprá-los? Até setembro de 2020, somente os investidores qualificados (com capital investido superior a R$1 milhão) tinham acesso. Mas uma nova regra da CVM passou a permitir o lançamento de ativos com lastro em ETFs que podem ser comprados por qualquer investidor.

Por que eles podem ser interessantes? Porque são uma alternativa para a diversificação da carteira. Eles permitem ao investidor ter exposição a empresas estrangeiras e setores que não estão representados na Bolsa brasileira.

Além disso, a exposição internacional que eles proporcionam ajuda a reduzir o risco-Brasil do portfólio. Isso porque esses ativos não sofrem os abalos provocados por fatores domésticos do nosso país.

Quais são os novos BDRs? Confira a lista dos 12 BDRs de ETFs que a B3 passou a disponibilizar hoje:

  • SLV (BSLV39) iShares Silver Trust
  • ESGE (BEGE39) iShares Inc iShares ESG Aware MSCI EM
  • DVY (BDVY39) iShares Select Dividend
  • EEM (BEEM39) iShares MSCI Emerging Markets
  • EWG (BEWG39) iShares MSCI Germany
  • EWU (BEWU39) iShares MSCI United Kingdom
  • ITOT (BITO39) iShares Core S&P Total US Stock Market
  • IBB (BIBB39) iShares Nasdaq Biotechnology
  • IGF (BIGF39) iShares Global Infrastructure
  • IYF (BIYF39) iShares US Financials
  • IXJ (BIXJ39) iShares Global Healthcare
  • IXN (BIXN39) iShares Global Tech

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).