A piora dos mercados externos e a informação de que o vídeo citado pelo ex-ministro Sergio Moro  mostra o presidente Jair Bolsonaro relacionando a troca do superintendente da Polícia Federal no Rio à necessidade de proteger sua família fez o dólar fechar em nova máxima nominal e a a bolsa fechar em queda nesta terça-feira (dia 12).

A moeda americana fechou em alta de 0,71%, a R$ 5,8657 na venda, novo recorde histórico nominal para um encerramento. Basta agora alta de 2,29% para o dólar tocar a marca psicológica de R$ 6.

O Ibovespa , que pela manhã operava em alta, fechou com com perda de 1,51%, para 77.871 pontos, enquanto o dólar também inverteu a direção e subiu 0,71%, para R$ 5,86.

Segundo relatos dos principais jornais, os investigadores avaliam que o vídeo é “bombástico” para o presidente, o que confirmaria as acusações de Moro de que o presidente tentava interferir na corporação.

Novos surtos

O mercado local também acompanhou as bolsas americanas, que fecharam em queda após um alerta do principal centro especialista em doenças infecciosas dos EUA de que medidas prematuras para reabrir a economia do país poderiam levar a novos surtos do coronavírus, atrasando a recuperação econômica.

Anthony Fauci, especialista em doenças infecciosas renomado dos Estados Unidos e diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, alertou o Congresso nesta terça-feira (dia 12) que uma suspensão prematura dos isolamentos pode provocar surtos adicionais.

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).