Ações de Vale e de siderúrgicas lideravam nesta quarta-feira os ganhos do Ibovespa, refletindo alívio com medidas na China para tentar debelar efeitos de possível quebra da gigante imobiliária Evergrande, enquanto o foco do mercado se voltava para novidades de política monetária nos Estados Unidos e no Brasil.

Às 15h38, o Ibovespa mostrava valorização de 2,50%, aos 113.005 pontos. Um dos destaques da sessão eram os papéis da Vale, que subiam 3,85%, a R$ 87,30. A maior alta (9,99%) era da Usiminas, com os papéis sendo negociados a R$ 15,42.

Notícias de que a Evergrande fez acordo para evitar um calote a credores na quinta-feira e de que o governo chinês organiza assumir a companhia e cindi-la tiraram o maior peso recente dos ativos de risco, elevando cotações de commodities e de índices de ações pelo mundo.

Com isso, investidores voltavam a concentrar as preocupações no que indicará o Fed, autoridade monetária dos Estados Unidos, após sua reunião nesta tarde, podendo “sinalizar algo sobre a retirada de estímulos no finalzinho do ano”, afirmou Alvaro Bandeira, economista-chefe do banco digital Modalmais, em nota.

No plano doméstico, a agenda econômica mais importante do dia é a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que após o fechamento deve anunciar alta de 1 ponto na taxa básica de juro, a 6,25% ao ano, segundo consenso do mercado.

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).