A queda nas ações da Vale e um novo dia de ruídos entre a equipe econômica e o presidente Jair Bolsonaro fizeram a Bolsa cair 0,62%, a 99.675 pontos.

A expectativa de que os juros continuem próximos de zero nos EUA aumentou o apetite a risco no mundo, o que fez o dólar cair 0,91%, a R$ 5,24.

O que aconteceu com a Bolsa e o dólar hoje? Um dos fatores foi a queda forte nas ações da Vale, uma das empresas com maior peso no Ibovespa. A redução da cotação do minério de ferro no mundo fez os papeis da mineradora caírem mais de 2% no pregão, o que ajudou a puxar o índice brasileiro para baixo.

Além disso, os investidores continuam acompanhando com atenção o clima de tensão entre o presidente Jair Bolsonaro e a equipe econômica.

Um dia depois de vetar o Renda Brasil, o presidente autorizou o relator do Orçamento, deputado Márcio Bittar (MDB-AC), a incluir na proposta orçamentária de 2021 a criação de um programa social com a mesma função do renegado pelo presidente.

O destaque do pregão de hoje foram as ações das companhias aéreas, com previsão dada pelo governo americano à Bloomberg de que os americanos serão vacinados até abril do ano que vem.

O S&P 500 encerrou uma sessão volátil em queda de 0,46%, com uma nova rodada de queda nos papeis de empresas ligadas à tecnologia.

O pessimismo acabou superando o posicionamento do do Fed (banco central americano) que consolidou expectativas de que as taxas de juros ficarão próximas de zero por um período prolongado nos EUA.

O comunicado ajudou a cotação da moeda brasileira em relação ao real, que se beneficiou, assim como outras emergentes, do clima de maior tolerância a risco.

Maiores altas:

CVC  (+ 4,12%)

Azul (+ 3,78%)

Gol (+ 3,40%)

Maiores baixas:

Minerva  (- 3,61%)

JBS (- 3,15%)

Usiminas (- 3,12%)

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.