O novo conflito entre a equipe econômica e o presidente Jair Bolsonaro, que falou em “cartão vermelho” para a pasta, fez o dólar subir 0,27%, a R$ 5,28.

A Bolsa fechou o pregão quase estável, com alta de 0,02%, a 100.297 pontos.

O que aconteceu com o dólar e a Bolsa hoje? Os investidores se desanimaram com o novo clima de tensão entre o presidente Jair Bolsonaro e a equipe econômica. Pela manhã, Bolsonaro utilizou as redes sociais para negar informações publicadas hoje e atribuída a integrantes da equipe econômica de que haveria cortes em programas sociais para financiar o Renda Brasil, novo do programa que iria substituir o Bolsa Família.

Além de ter negado a extinção de programas de auxílio a idosos carentes e deficientes e dito que o Renda Brasil não sairá do papel, o presidente falou em “cartão vermelho” para os idealizadores dessa proposta. “Quem porventura vier a propor uma medida como essa, só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”, afirmou.

Apesar de o ministro Paulo Guedes ter negado que o cartão vermelho era para ele, o mercado ficou nervoso com o conflito, o que se refletiu sobre a cotação da moeda brasileira e impediu um avanço maior do Ibovespa.

Lá fora, o S&P 500 fechou em leve alta de 0,52%, com os investidores esperando que o Fed (banco central dos EUA) mantenha sua postura de política monetária de apoio à atividade. O Dow Jones subiu 0,01% e o Nasdaq valorizou-se 1,21%.

Maiores altas:

Suzano (+ 6,01%)

Gerdau (+ 5,77%)

Met. Gerdau (+ 5,25 %)

Maiores baixas:

Eletrobras (- 3,70%)

IRB (- 3,27%)

Cielo (- 3,16%)

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.