Após flutuar entre perdas e ganhos, o Ibovespa iniciou a semana de instalação da CPI da Covid em leve alta de 0,05%, a 120.594 pontos. As ações da Cia. Hering foram o destaque do pregão, disparando mais de 26% após o anúncio do acordo de fusão com o Grupo Soma.

Já o dólar teve queda de 0,87%, a R$ 5,4488.

O que aconteceu com a Bolsa? O principal índice da bolsa brasileira teve uma valorização modesta nesta segunda, com investidores atentos à intensa agenda corporativa doméstica – Vale divulga resultados nesta noite, antes de uma série de balanços do primeiro trimestre. A sessão teve como estrela a varejista Cia Hering, cujas ações escalaram 26% após anúncio de acordo para ser incorporada pelo Grupo Soma.

O índice chegou a superar os 121 mil pontos nos primeiros minutos da sessão, mas perdeu força, mostrando correlação negativa com Wall Street: o Ibovespa perdia força à medida que os das bolsas de Nova York ampliavam ganhos.

“As expectativas em relação à pandemia dão o tom do mercado brasileiro, justamente por isso o descolamento em relação ao exterior”, afirmou Lucas Collazo, da Rico Investimentos, citando também preocupações ligadas aos efeitos da CPI da Covid.

Após o Ibovespa ter avançado cerca de 10 mil pontos desde o início e março e voltado ao azul no acumulado do ano, parte dos investidores têm preferido vender algumas ações que mais subiram no período, com as de bancos, peso negativo nesta sessão.

O contraponto foram ações ligadas a commodities, com destaque para metais, refletindo o continuado otimismo global com o setor, diante de sinais de “recuperação acelerada das economias desenvolvidas e chinesa”, afirmou Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora.

O maior destaque do dia foi Cia. Hering, que disparou 26,2%, após anúncio de que fechou acordo para ser incorporada pelo Grupo Soma, que caiu 10,1%. O valor definido equivale a pagar aos acionistas da Cia. Hering ágio de cerca de 43,5%, tomando como base o preço de fechamento das ações das empresas na sexta-feira. O valor avalia a empresa em cerca de R$ 5,3 bilhões. A clientes, o BTG Pactual afirmou que a aquisição apresenta risco de execução para o Grupo Soma, especialmente considerando a fraca performance operacional da Cia. Hering nos últimos anos.

CVC teve ganho de 5,14%, em dia positivo das ações de empresas ligadas a turismo, na esteira de medidas de flexibilização do isolamento social para conter a pandemia da Covid-19 e queda do dólar. Azul evoluiu 1,29%.

Vale avançou 0,54%, antes de divulgar seu resultado trimestral nesta noite. Com a alta de 4% nesta segunda, o minério de ferro atingiu o pico desde maio de 2008. No ano, a alta do produto chega a 20%.

Na outra ponta, Via Varejo perdeu 2,06%. A dona das redes Casas Bahia e Ponto Frio, e que agora se chamará apenas “Via”, anunciou que prevê ter em 2025 dois terços de suas receitas oriundas do comércio eletrônico, segmento do qual pretende ter ao menos 20% do mercado. Em teleconferência à tarde, a empresa afirmou que tem entre R$ 4 bilhões e R$ 5 bilhões em créditos fiscais acumulados que vão virar caixa nos próximos três a cinco anos.

O que aconteceu com o dólar? O O dólar fechou nesta segunda-feira em queda frente ao real – no menor patamar em dois meses e abaixo de R$ 5,45 – em semana de agenda pesada, com expectativa em torno da instalação da CPI da Covid-19 e a reunião de política monetária do Federal Reserve (banco central dos EUA).

“Em uma semana de importantes eventos e indicadores a única certeza que temos é a de forte volatilidade e amplitude para a moeda norte-americana”, disse em nota matinal Jefferson Rugik, da Correparti Corretora.

Esteve ainda no radar dos investidores a notícia de que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), informou no fim de semana que um primeiro texto da reforma tributária será apresentado no dia 3 de maio. Ele reforçou em suas redes sociais que o Congresso tem o compromisso de votar ainda neste ano as reformas tributária e administrativa.

O dólar à vista caiu 0,87%, a R$ 5,4488 na venda – menor nível de encerramento desde 24 de fevereiro (R$ 5,4219).

A moeda operou em queda por toda a sessão, variando entre R$ 5,4912 (-0,10%) e R$ 5,4389 (-1,05%). Dos últimos nove pregões, oito foram de queda da divisa norte-americana.

Maiores altas:

Hering (+26,19%)
CVC (+5,18%)
CSN (+4,85%)

Maiores baixas:

Carrefour (-5,29%)
Eztec (-2,45%)
Lojas Renner (-2,19%)

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).