Atualizado às 19h

Em um dia de turbulência para o mercado acionário, dá para contar nos dedos as empresas que conseguiram terminar o pregão no azul. Foram apenas duas: Taesa (+0,11%) e Suzano (+0,15%).

A Suzano é uma empresa brasileira do ramo de papel e celulose, que tem a exportação como grande parte do seu negócio. Já a Taesa é do setor elétrico, que, de acordo com a XP, é o segmento de transmissão de energia elétrica tem alta previsibilidade, por sua estrutura de receitas fixas, além de normalmente pagar bons dividendos.

Alexsandro Nishimura, economista, head de conteúdo e sócio da BRA, explica que empresas exportadoras costumam ser mais resilientes em momentos de quedas da bolsa e alta do dólar.

“Em momentos de estresse na bolsa, o movimento padrão dos investidores é a busca por ativos que possam se beneficiar ou que tragam alguma proteção. O dólar naturalmente é visto como um ‘porto seguro’, o que faz a moeda norte-americana se valorizar nessas situações. Os investidores também costumam procurar ações que se beneficiam do dólar mais alto, que por sua vez é favorável às empresas exportadoras. Ou seja, que vendem para o exterior e recebem na moeda estrangeira”, afirma Nishimura.

Mario Mariante, analista-chefe da Planner Corretora, diz que a tendência de alta da Suzano poderia virar caso o dólar passasse a cair.

“Normalmente quando o dólar dá uma esticada e o mercado está ruim, a tendência é que os papéis com faturamento indexado em dólar, que é o caso da Suzano, que é uma grande exportadora, subam, já que o mercado entende que esse tipo de empresa pode ter alguma vantagem”, afirma Mariante.

Apesar de normalmente se darem bem em cenários de crise, nem todas as exportadoras conseguiram operar em alta. Isso porque o clima é de aversão ao risco em todo mundo, com os investidores assustados com o surgimento de uma nova variante da covid-19 na África do Sul e pelo aumento dos casos da doença na Europa.

Existem especulações de que a variante poderia ser mais contagiosa e letal, mas ainda não há confirmações a respeito ou informações sobre a eficácia das vacinas para esta nova cepa. Nesse clima de tensão, o Ibovespa afundou 3,39% nesta sexta-feira.

Leia também: Nova variante da covid-19: entenda os motivos que geram preocupação global

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).