Apesar de um dia negativo para a Petrobras e empresas exportadoras de commodities, o Ibovespa foi impulsionado pelos bancos e companhias aéreas e encerrou esta segunda-feira (dia 7) em alta de 0,50%, a 130.776 pontos, segundo dados preliminares, voltando a renovar máximas históricas.

Em meio aos receios com a inflação nos EUA, o dólar fechou o dia em alta de 0,03%, a R$ 5,0380.

O que aconteceu com a Bolsa? O principal índice brasileiro teve o oitavo dia consecutivo de ganhos e bateu seis recordes de suas máximas históricas em sequência, em meio ao bom humor do mercado com o desempenho da atividade econômica brasileira, que vem se mostrando melhor do que o esperado.

Na manhã desta segunda, o boletim Focus, do Banco Central, mostrou que os analistas já apostam em uma alta de 4,36% do PIB (Produto Interno Bruto), ante 3,96% há uma semana. Ao mesmo tempo, a pressão sobre a inflação só cresce (a aposta é que a variação de preços chegará a 5,44% em dezembro), aumentando a chance de uma alta nos juros mais expressiva pelo BC.

Esse cenário favorece os bancos, que tem peso importante no índice e que tiveram um forte desempenho nesta segunda. O Itaú Unibanco e o Bradesco tiveram altas de 2,35% e 1,37%, respectivamente.

Além disso, as companhias aéreas também subiram com força – a Azul teve ganho de 6,08% após o papel ter sua recomendação elevada por um banco e em meio a uma reunião com investidores estrangeiros. A Gol subiu 3,93% após a divulgação de dados operacionais de maio.

“[A Gol] teve crescimento tanto da demanda quanto da oferta em comparação com maio do ano passado”, apontou Pietra Guerra, analista da Clear Corretora.

Os shoppings centers também tiveram um dia positivo, mantendo as perspectivas otimistas de reabertura.  Na outra ponta, sofreram os papéis de empresas exportadoras de commodities e petroleiras, com a queda nas cotações dessas matérias primas no mundo.

O que aconteceu com o dólar? A moeda americana teve um dia de forte instabilidade, subindo pela manhã, caindo no início da tarde e depois voltando a ter ganhos. No fim das contas, a variação terminou positiva, em apenas 0,03%, a R$ 5,0380 na venda.

Apesar das perspectivas mais positivas para a economia brasileira, os investidores aguardam dados de inflação nos Estados Unidos nesta semana. “A gente está vindo de um movimento bem forte de queda do dólar, então nesse início de semana é normal o mercado ficar um pouco mais ansioso”, disse João Vitor Freitas, analista da Toro Investimentos.

Ele destacou as fortes expectativas dos mercados internacionais em torno de dados desta semana, como a leitura sobre os preços aos consumidores americanos de quinta-feira, depois que um relatório de emprego recente dos EUA aliviou temores de que a maior economia do mundo está acelerando a um ritmo que poderia alimentar a inflação.

Maiores altas:

Azul (+6,08%)
Natura (+4,56%)
Energisa (+4,25%)

Maiores baixas:

Pão de Açúcar (-4,00%)
Banco Inter (-3,85%)
PetroRio (-3,80%)

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).