O Ibovespa fechou em queda de 1,26% nesta terça-feira (4), aos 117.712 pontos, contaminado pelo sinal negativo em Wall Street e com bancos entre as maiores baixas, incluindo Itaú Unibanco.

Já o dólar teve alta de 0,26% e fechou cotado a R$ 5,4322.

O que aconteceu com a bolsa? O resultado considerado de “baixa qualidade” do Itaú e a correção da bolsa norte-americana com o aviso da secretária do Tesouro, Janet Yellen, de que “a taxa de juros pode subir para não sobreaquecer a economia” ajudam justificar a queda do Ibovespa hoje.

“Os investidores esperavam por um ótimo resultado do Itaú e, de fato, os grandes números ficaram acima da expectativa. Mas foram diversos não recorrentes, como o resultado bastante forte de Tesouraria e provisões menores, enquanto os números que fazem do resultado sustentável, como rendas de tarifas, margem financeira com clientes e custos, foram fracos e decepcionaram os analistas”, explicou Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora.

Em NY, o S&P 500 cedeu 0,67% e o Nasdaq Composite recuou 1,9%, pressionado pelo declínio de ações de tecnologia, como Microsoft, Alphabet, Apple, Amazon e Facebook.

Comentários da secretária do Tesouro dos EUA sobre a necessidade potencial de aumento da taxa de juros também repercutiram. “A questão é que o mercado dos EUA está nas máximas e qualquer sinalização contrária à política monetária expansionista acaba gerando um ruído e alimentando uma correção, que deve ser vista como natural pelo investidor”, comentou Ribeiro.

Na visão do analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, além do efeito externo e da pressão dos bancos, o pregão também teve o noticiário político no radar, incluindo a CPI da Covid e o texto da reforma tributária.

O relator da reforma tributária em comissão mista do Congresso começou a ler seu parecer sobre a reestruturação do sistema de tributos e impostos. Mas uma versão final do texto só deve ser apresentada na semana que vem.

O depoimento do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta à CPI da Covid nesta terça-feira também ocupou as atenções, com ele afirmando que o país sempre esteve um passo atrás do vírus ao não adotar medidas de restrição de locomoção.

“O mercado continua acompanhando a CPI da Covid com receios sobre a sua politização e ‘contaminação’ do cenário de recuperação da economia brasileira”, acrescentou Chinchila.

Entre os destaques do dia, PetroRio avançou 3,7%, tendo de pano de fundo Ebitda ajustado de R$ 427,9 milhões nos três primeiros meses do ano, alta de 1.209% na comparação anual, enquanto a produção avançou 33,6%. Analistas do BTG Pactual salientaram que o resultado foi bem acima do esperado, com o principal destaque sendo o preço realizado de óleo em US$ 62,2 o barril, um prêmio de US$ 1 o barril em relação ao contrato de Brent. O presidente da petroleira também disse que a companhia permanece na disputa por Albacora, da Petrobras, e que avalia outros ativos.

Entre os bancos, além do Itaú, também houve recuos nas ações do Bradesco (-3%), Banco Inter (-7,7%) e BTG Pactual (-3,88%).

O que aconteceu com o dólar? O dólar à vista fechou em alta frente ao real nesta terça-feira, mas longe das máximas e com movimento mais brando aqui do que no exterior, conforme operadores evitaram grandes mudanças de posição em meio a debates sobre reformas econômicas e à CPI da Covid no Senado.

O dólar no mercado spot subiu 0,26%, a R$ 5,4322 na venda. Lá fora, o dólar tinha alta de até 0,9% ante alguns dos principais pares do real.

De toda forma, o dia terminou com viés mais vendedor de dólares tanto no mercado spot quanto no de derivativos. Analistas esperam que o Banco Central entregue nova alta de 0,75 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic) na quarta-feira, o que elevaria o juro para 3,50%, consideravelmente acima da taxa de 2% que vigorou até março e, assim, melhorando a relação risco/retorno de se comprar reais.

Além disso, o noticiário sobre reformas segue fazendo preço. Analistas do BTG Pactual digital consideraram as declarações do relator da reforma tributária na comissão mista do Congresso, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), como positivas para o avanço da agenda de reformas estruturantes.

Ribeiro iniciou nesta terça-feira a leitura de seu parecer sobre a restruturação do sistema de tributos e impostos, mas uma versão final do texto só deve ser apresentada na próxima terça-feira, a partir de sugestões de parlamentares.

Em meio à CPI da Covid, na qual ações do governo são alvo de escrutínio, integrantes do Executivo têm tentado criar fatos positivos do lado da agenda de reformas.

“A CPI precisa ser monitorada, mas não acreditamos que haja risco material a ponto de afetar o real”, disse Rafael Sales, analista econômico da Arazul Capital. “Pelos fundamentos o real está mais depreciado do que deveria, e o exterior deverá continuar favorável de forma geral, então vemos espaço para o dólar fechar o ano até abaixo de R$ 5,20”, completou.

Maiores altas:

PetroRio (+3,70%)
Fleury (+2,55%)
JBS (+2,42%)

Maiores baixas:

Eletrobrás PNB (-4,58%)
Itaú Unibanco (-4,27%)
Eletrobrás ON (-4,24%)

Com a Reuters

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).