A queda inesperada da confiança do consumidor nos Estados Unidos e a percepção dos investidores de que o real está excessivamente desvalorizado em relação ao dólar fizeram a moeda americana encerrar o dia em queda de 1,19%, a R$ 5,52.

Já a Bolsa fechou o pregão desta terça-feira (dia 25) em leve queda de 0,18%, a 102.117 pontos.

O que aconteceu com o dólar hoje? A moeda americana chegou a subir pela manhã, com os investidores desconfiados do cenário fiscal para o Brasil por conta do impasse entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, em torno do valor do programa que substituirá o Bolsa Família.

Durante a tarde, entretanto, a divisa dos EUA perdeu força no mundo todo, com a informação de que a confiança do consumidor americano caiu em agosto pelo segundo mês consecutivo –o dado aumentou a percepção de enfraquecimento do dólar.

O fator que impulsionou o real em particular foi que pelo menos três grandes bancos estrangeiros passaram a ver melhora na avaliação da moeda brasileira, com argumento de que a nossa divisa  é alvo de grande volume de posições vendidas num cenário em que já precificou boa parte dos riscos domésticos.

E o que aconteceu com a Bolsa? Apesar de ter subido pela manhã, a Bolsa acabou revertendo os ganhos acompanhando o índice Dow Jones, que passou a cair após a divulgação dos dados abaixo da expectativa sobre a confiança dos consumidores americanos.

Além disso, a desconfiança em torno da disputa entre Bolsonaro e Guedes em torno do auxílio, com o presidente querendo um valor maior do que o ministro para o novo Bolsa Família, desanimou o mercado.

A Vale, que recuou mais de 2% no pregão por causa da queda dos preços do minério de ferro, também ajudou a puxar o Ibovespa para baixo.

Maiores altas:

Renner (+ 4,29%)

Rumo (+ 3,48%)

Cia Hering (+ 3,17%)

Maiores baixas:

Braskem (- 3,51%)

Cielo (- 3,38%)

JBS (- 3,02%)

(Com Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.