A recente onda de otimismo global com a eficiência das vacinas e a transição de governo nos Estados Unidos garantiu outro dia positivo para o mercado brasileiro.

A Bolsa encerrou o pregão desta quarta-feira (25) em alta de 0,32%, a 110.132 pontos, maior nível desde fevereiro. O dólar fechou em queda de 1,03%, a R$ 5,32.

O que aconteceu com a bolsa e o dólar? O movimento de euforia global com a eficiência das vacinas e a transição de poder nos Estados Unidos garantiu outro dia positivo para o mercado brasileiro.

Pela manhã, o Ibovespa chegou a cair com a realização de lucros.  Uma bateria de dados econômicos dos EUA também ocupavam as atenções, entre eles um aumento não esperado nos pedidos semanais de auxílio-desemprego.

Apesar disso, o otimismo prevaleceu e o principal índice da bolsa encerrou o pregão em alta.

A equipe do BTG Pactual observou que, apesar de incertezas atreladas ao ambiente político no Brasil, o movimento internacional prevê busca por ativos mais sensíveis ao ciclo econômico, o que estimulou uma forte recuperação recente do Ibovespa.

“Estamos em um momento onde o apetite a risco tem sido muito grande por não haver outra opção de rendimento atrativo”, disse em nota a clientes, acrescentando que segue analisando apenas boas oportunidades com boa estratégia de crescimento para 2021.

O real esteve entre as divisas de melhor desempenho na sessão, numa lista dominada por moedas que, assim como o real, se beneficiam de perspectivas de recuperação econômica.

Esse movimento se manteve depois de o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) divulgar a ata de sua última reunião de política monetária. O Fed vem defendendo a manutenção de recursos para financiar suas ferramentas de apoio à economia, especialmente depois de o Tesouro dos EUA anunciar o encerramento de alguns dos principais programas no fim deste ano.

Apesar disso, o mercado vem reagindo com venda de dólar à possível indicação da ex-chair do Federal Reserve Janet Yellen para o comando do Tesouro dos EUA. O entendimento é que a dupla Yellen/Powell –Jerome Powell, atual chair do Fed– poderia promover uma coordenação sem precedentes entre as políticas monetária e fiscal a fim de garantir a recuperação econômica dos EUA da crise da Covid-19.

Maiores altas:

CVC (+ 9,79%)
Usiminas (+ 7,05%)
PetroRio (+ 5,96%)

Maiores baixas:

Cogna (- 2,79%)
Ambev (- 1,76%)
Yduqs (- 1,73%)

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).