Às vésperas do feriado pelo Dia da Independência nos Estados Unidos, a Bolsa e o real operaram no terreno positivo durante o dia,  impulsionados por dados positivos de recuperação econômica, mas devolveram os ganhos durante a tarde .

O Ibovespa encerrou o pregão estável, com leve alta de 0,03%, a 96.234 pontos, e o dólar subiu 0,6%, a R$ 5,34.

Ao longo do dia, o mercado brasileiro acompanhou o otimismo das bolsas externas com o relatório do mercado de trabalho nos EUA, que mostrou criação de 4,8 milhões de vagas no mês passado.

A recuperação era esperada, mas o ritmo foi maior do que o previsto. Economistas consultados pela agência Reuters previam que 3 milhões de empregos seriam criados nos Estados Unidos em junho.

No Brasil, a produção industrial brasileira registrou alta de 7% em maio na comparação com o mês anterior, segundo divulgou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), levemente acima do esperado.

O fato de amanhã os mercados não funcionarem nos EUA, entretanto, somado ao aumento dos casos de coronavírus em estados americanos, fez o mercado adotar uma postura mais prudente.

“Os dados mostram que a economia americana de certa forma está se recuperando. É positivo, mas já era esperado”, explica Jefferson Laatus, estrategista-chefe do Grupo Laatus. “Mas amanhã é feriado, ninguém quer ficar muito posicionado e ser surpreendido por mais casos de coronavírus nos Estados Unidos”.

A situação fiscal do Brasil também não ajudou: a equipe econômica divulgou nesta quinta que espera que a dívida bruta feche o ano em 98,2% do PIB (Produto Interno Bruto), um percentual bastante elevado para um país emergente.

“A equipe econômica prevê uma piora generalizada nas contas públicas em vista dos esforços do governo para combater o coronavírus”, aponta Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora.

Leia também:

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.