O mercado de criptomoedas agora vale mais de US$ 3 trilhões.

Às 7h38 em Londres, a capitalização de mercado geral de criptomoedas atingiu US$ 3,01 trilhões, de acordo com os preços da CoinGecko. O terceiro e quarto maiores tokens, Binance Coin e Solana, cresceram mais de 20% nos últimos sete dias – todas as sete maiores moedas subiram na última semana.

O Bitcoin chegou a registrar alta de 5,5% na segunda-feira para US$ 66.339, aproximando-se de seu recorde anterior de cerca de US$ 67.000. O Ether avançou 3% para uma nova alta de US$ 4.768.

Claro, é preciso lembrar que a criptografia é notoriamente volátil. A última vez que o Bitcoin atingiu esses níveis, ele caiu vários milhares de dólares e passou por várias correções que o reduziram pela metade ou mais. Outras moedas são ainda mais voláteis – as criptomoedas meme saltam para frente e para trás muitas vezes de forma imprevisível – além dos golpes e hacks que ocorrem com alguma frequência.

O mercado de criptografia já havia quase quadruplicado de valor ao final de 2020, à medida que os investidores ficaram mais confortáveis ​​com tokens estabelecidos e redes como Ethereum e Solana que continuam a atualizar e atrair novas funcionalidades. O entusiasmo com as possibilidades de finanças descentralizadas e tokens não fungíveis está crescendo, e criptomoedas meme como Dogecoin e Shiba Inu continuam a atrair a atenção.

O rali atual do Bitcoin foi alimentado pela estreia comercial nos EUA de um ETF vinculado ao Bitcoin, bem como pelas repercussões de fim de semana do Twitter de Elon Musk, disse Ben Caselin, chefe de pesquisa e estratégia da crypto exchange AAX. “Com o aumento recente do Shiba e de outros memecoins e a mudança da marca do Facebook para Meta, o interesse por altcoins continua a crescer.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).