Os mercados acionários da Ásia fecharam na maioria em baixa, nesta segunda-feira, após indicadores da China frustrarem a expectativa dos investidores. No Japão, o Produto Interno Bruto (PIB) veio um pouco acima do esperado, conforme divulgação feita no domingo, mas isso não foi suficiente para reverter o quadro de cautela predominante.

Na própria China, não houve sinal único nas praças. A Bolsa de Xangai terminou perto da estabilidade, em alta de 0,03%, em 3.517,34 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, caiu 0,58%, a 2.568,14 pontos. Na agenda de indicadores, a produção industrial, as vendas no varejo e os investimentos em ativos fixos frustraram as previsões em julho.

O Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) injetou yuans no sistema financeiro por meio de um instrumento de empréstimos de médio prazo, atuação vista por muitos como um esforço para impulsionar a economia. Em relatório, o Citi considerou que a China deve reforçar o apoio monetário e fiscal, diante do quadro de desaceleração econômica.

Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei fechou em baixa de 1,62%, em 27.523,19 pontos. Ações de empresas de eletrônicos e de maquinário puxaram as quedas, com o fortalecimento do iene pressionando papéis de exportadoras.

Na agenda, foi informado que o PIB do Japão cresceu 0,3% no segundo trimestre ante o anterior, acima da previsão de avanço de 0,2%. A Pantheon diz que o crescimento japonês deve seguir modesto neste ano, com a covid-19 contendo a atividade em geral, mas a consultoria acredita que pode haver mais apoio fiscal no país para apoiar o quadro.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng registrou queda de 0,80%, a 26.181,46 pontos, em sua terceira baixa consecutiva. Nesta segunda-feira, os dados da China influenciaram. Montadoras estiveram entre as maiores quedas, com realização de lucros.

Em Taiwan, o índice Taiex caiu 0,73%, a 16.858,77 pontos.

Já a Bolsa de Seul não operou nesta segunda-feira, devido a um feriado na Coreia do Sul.

Oceania

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200 fechou em baixa de 0,61%, em 7.582,50 pontos, após recordes históricos recentes.

Ações do setor financeiro estiveram entre as mais penalizadas nesta segunda-feira, com mineradoras também em queda.

*Com informações da Dow Jones Newswires

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).