Se não fosse a a Vale, que ganhou terreno com a disparada dos preços do minério de ferro por causa da demanda chinesa, o Ibovespa estaria caindo 0,35% no acumulado do ano até a última terça-feira, dia 25 –nesse período, a bolsa se valorizou 3,3%.

Quando se desconsidera também as siderúrgicas (Gerdau, Usiminas e CSN), o principal índice brasileiro teria uma queda ainda maior, de 1,5% no período. É o que mostram cálculos feito a pedido do 6 Minutos pela consultoria de informações financeiras Comdinheiro.

Principal importadora de commodities do mundo, a China vem investindo pesado em grandes obras desde o final do ano passado, com o objetivo e estimular sua economia e reduzir os efeitos negativos da pandemia de covid-19. Além disso, os Estados Unidos já anunciaram um pacote de US$ 2 trilhões para gastos em infraestrutura.

Esse cenário de forte demanda, que se soma à retomada sincronizada com outros países, como a Europa, vem jogando as cotações das commodities, com destaque para o minério de ferro e o aço, lá para cima. É isso que explica a disparada das ações da Vale, que já se valorizaram 27% somente neste ano.

Como a empresa representa 12% do principal índice brasileiro, vem sendo a estrela incontestável da bolsa. Veja abaixo como está o desempenho do Ibovespa neste ano (linha azul) e como estaria sem a mineradora (linha vermelha):

Reprodução/ Comdinheiro

 

“O aumento do peso das mineradoras no Ibovespa está muito relacionado com a valorização que essas empresas tiveram nesse começo de ano, puxadas pelo aumento do preço do minério de ferro cotado na China. Foi o aumento da demanda chinesa pela commodity que puxou as cotações, e consequentemente a valorização das ações ligadas a ela”, aponta Pietra Guerra, analisa da Clear Corretora.

Siderúrgicas também se beneficiaram

Ela lembra que esse movimento também foi observado entre as siderúrgicas, que se beneficiaram do salto da cotação do aço.

“A China foi um exemplo de economia que se recuperou em V do trauma da pandemia, ou pelo menos do começo dela. Ela mostrou uma recuperação super acelerada, inclusive na parte de construção. O setor de construção da China é um dos grandes demandantes de aço e consequentemente de minério de ferro”.

As três grandes siderúrgicas, Usiminas, Gerdau e CSN, já se valorizaram mais de 30% neste ano por causa desse salto de demanda somado à alta das cotações. Veja abaixo como ficaria o Ibovespa sem Vale e siderúrgicas (linha vermelha).

 

Reprodução/ Comdinheiro

 

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).