Dividida entre um dia de otimismo nas bolsas americanas e a pressão de baixa da Vale e da Petrobras, a Bolsa fechou o dia em leve alta de 0,05%, a 122.700 pontos.

Após ter forte alta ontem com a ata do Fed (banco central americano), que indicou alguma chance de mudança nos estímulos monetários em vigor, o dólar caiu 0,73%, a R$ 5,27.

O que aconteceu com a bolsa? O Ibovespa mostrou certa fraqueza neste pregão, com o declínio de Vale e Petrobras entre as maiores pressões de baixa na esteira do recuo de preços de commodities no exterior.

No exterior, Wall Street abriu em alta depois que os pedidos de auxílio-desemprego semanais dos Estados Unidos atingiram o nível mais baixo desde o início da recessão devido à pandemia, mas os preços do minério de ferro na China e do petróleo recuaram, contrabalançando o efeito positivo na bolsa paulista.

Apesar da recuperação nos pregões em Nova York, notas matinais de gestoras e bancos citaram que investidores ainda se mostram ressabiados com a ata da última reunião do Federal Reserve (banco central dos EUA) na véspera, que sugeriu que o início do aperto monetário nos Estados Unidos pode estar ficando mais próximo.

Um dos destaques foi o banco Inter, que fechou parceria como o Banco ABC Brasil para atuar conjuntamente em áreas como estruturação, colocação e distribuição de títulos e valores mobiliários e de fundos.

A Eletrobras caiu em meio a movimentos de realização de lucros, após renovar máximas mais cedo por causa do avanço da MP que abre espaço para a privatização da elétrica.

O que aconteceu com o dólar? O dólar operou em queda, cedendo algum terreno depois de registrar ontem um ganho acentuado com a ata da última reunião do Federal Reserve, em que o banco central americano apresentou os primeiros sinais de conversas sobre um aperto monetário.

No âmbito doméstico, os investidores ficaram atentos à continuação do depoimento do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello à CPI da Covid e à aprovação pela Câmara de medida provisória que viabiliza a desestatização da Eletrobras.

Em meio à incerteza, analistas acreditam que os mercados internacionais devem trabalhar com maior volatilidade daqui para frente, ao sabor dos comentários das autoridades do Fed sobre as perspectivas da política monetária.

Maiores altas:

Locamerica  (+5,12%)
Localiza (+4,53%)
BRF (+4,18%)

Maiores baixas:

Suzano (-4,19%)
Yduqs (-3,06%)
Eletrobras (-3,02%)

(Com a Reuters)

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).