A bolsa fechou em alta nesta terça-feira (dia 13), refletindo o otimismo de ontem dos mercados internacionais um dia após o feriado de Nossa Senhora Aparecida. O Ibovespa fechou com ganhos de 1%, a 98.502 pontos.

Já o dólar subiu 0,98%, a R$ 5,57.

O que aconteceu com a Bolsa hoje? O principal índice brasileiro encerrou o dia em alta porque houve um ajuste em relação aos movimentos das ações de empresas brasileiras negociadas nos Estados Unidos (as chamadas ADRs) durante o feriado de ontem.

Nesta segunda, as bolsas americanas subiram por causa da expectativa de avanços no pacote de estímulos à economia americana, com destaque para as ações de empresas de tecnologia e varejistas de ecommerce. Empresas como a B2W e a Magalu foram o destaque do pregão, encerrando o dia com alta de mais de 5%.

O Ibovespa sustentou esse movimento apesar da queda de hoje nos mercados internacionais. Nesta terça, Wall Street perdeu terreno, com a interrupção dos testes de uma potencial vacina contra a Covid-19 e dificuldades para estimular a economia dos EUA.

Todos os três principais índices de ações fecharam no vermelho, mas os papéis de Microsoft Corp e da Amazon.com ajudaram a mitigar as perdas do Nasdaq, índice com forte peso de ações de tecnologia.

Segundo dados preliminares, o Dow Jones recuou 0,55%, para 28.679,48 pontos, o S&P 500 perdeu 0,64%, para 3.511,71 pontos, e o Nasdaq caiu 0,1%, para 11.863,90 pontos.

Maiores altas:

B2W (+ 6,73%)

Magalu (+ 5,96%)

Marfrig  (+ 4,72%)

Maiores baixas:

Embraer   (- 2,99%)

Yduqs (- 2,63%)

MRV (- 2,19%)

E o que aconteceu com o dólar? A moeda americana fechou em alta por causa do ambiente de aversão a risco no exterior, com a interrupção dos testes da vacina e o início da temporada de balanços nos EUA, e pelo cenário fiscal incerto no Brasil.

A Johnson & Johnson informou nesta terça que demoraria alguns dias até que um comitê de monitoramento de segurança avalie os testes clínicos de sua candidata a vacina contra coronavírus, após anunciar que o estudo fora suspenso devido a uma doença em um participante.

A medida preocupa o mercado num momento em que mais países europeus anunciam novas medidas de restrição, em meio ao crescimento de novos casos de Covid-19 por lá, o que pode enfraquecer a instável recuperação econômica.

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).