A porta aberta deixada pelo Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) para um novo corte nos juros e a sinalização pró-reformas do ministro da Economia, Paulo Guedes, fizeram a Bolsa encerrar esta quinta-feira (dia 6) em alta de 1,29%, a 104.125 pontos.

Já o dólar, pressionado pela possibilidade de novo corte na taxa básica, fechou o pregão em alta de 0,93%, a R$ 5,34.

O que aconteceu com a Bolsa e o dólar? Na decisão em que cortou a taxa básica de juros, a Selic, a 2% ao ano, o Copom não encerrou o ciclo de reduções, como era esperado por parte do mercado.

O Banco Central sinalizou que, se necessário, pode fazer um novo ajuste, ainda mais leve do que o de ontem. Além disso, o comunicado da decisão indicou que os juros devem permanecer baixos por um período prolongado.

O patamar extremamente baixo da Selic tem sido um dos principais suportes para o Ibovespa, com papel relevante de pessoas físicas em busca de melhor remuneração de seus investimentos.

Além disso, os bons resultados de algumas empresas, como a Totvs, que apresentou receitas maiores do que o esperado com computação em nuvem, animaram os investidores.

Outro ponto positivo para o mercado foram declarações do ministro Paulo Guedes Guedes, que afirmou que o governo irá anunciar nos próximos 30 a 60 dias a privatização de 3 a 4 grandes companhias, e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que se comprometeu com o teto de gastos.

Por fim, a Bolsa também se beneficiou do bom humor dos mercados nos EUA, estimulados pelos ganhos das empresas de tecnologia.

E o que aconteceu com o dólar? A moeda americana encerrou o dia em alta pela mesma razão que impulsionou a alta da Bolsa: o comunicado do Copom, que indicou juros baixos por um longo período, pressionaram a cotação.

Isso acontece porque juros menores reduzem a atratividade dos investimentos em renda fixa no Brasil para estrangeiros. Além disso, o mercado se preocupa com a deterioração do cenário fiscal para o país.

Maiores altas:

BR Malls  (+ 11,20%)

Totvs (+ 10,85%)

Cielo (+ 10,67%)

Maiores baixas:

Gerdau  (- 2,48%)

Via Varejo (- 2,05%)

Usiminas (- 2%)

E como fecharam as bolsas americanas? As ações de Wall Street fecharam em alta, com o índice de tecnologia, o Nasdaq, cravando um novo recorde e encerrando acima de 11 mil pontos pela primeira vez.

Os mercados se animaram com o desempenho de ações de tecnologia ou relacionadas ao setor, como Apple (+3,49%) e Facebook (+6,49%), que possuem um peso importante em todos os índices.

O Dow Jones avançou 0,68%, o S&P 500 ganhou 0,64% e o ​​Nasdaq valorizou-se 1%.

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.