Dividido entre queda nas ações dos bancos e a alta das commodities, o Ibovespa encerrou o pregão desta quarta-feira (23) em queda de 0,26%, a 128.427 pontos.

Ainda influenciado pela expectativa de alta mais expressiva da taxa de juros básica no Brasil, o dólar recuou 0,07%, a R$ 4,96.

O que aconteceu com a Bolsa? O Ibovespa subiu pela manhã, voltando a se aproximar dos 130 mil pontos, beneficiado pelo clima favorável a ativos de risco no exterior, com a alta de blue chips como Vale, Itaú e Petrobras entre os principais suportes.

Durante a tarde, entretanto, o principal índice da bolsa passou a cair. As ações dos bancos viraram, com os investidores reagindo à aprovação de uma medida provisória que eleva a tributação das instituições financeiras para subsidiar temporariamente o diesel e o gás de cozinha.

Além disso, declarações de Raphael Bostic, presidente do Fed (banco central dos EUA) de Atlanta, reforçaram a necessidade de alta dos juros em 2022 com a inflação mais forte do que o esperado.

“No mesmo tom de preocupação quanto ao rumo dos preços, a diretora do Fed, Michelle Bowman, afirmou ser provável que os preços sigam subindo neste ano e as pressões inflacionárias “temporárias”, citadas por Powell em seu discurso, devem durar mais tempo do que esperado em vista dos gargalos na cadeia de suprimentos”, apontou Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora.

O que aconteceu com o dólar? O dólar oscilou entre estabilidade e leve queda contra a moeda brasileira durante o dia, mantendo-se abaixo do patamar R$ 5 em meio à percepção de uma política monetária mais dura no Brasil e mais tolerante nos Estados Unidos.

Segundo Alexandre Netto, head de câmbio da Acqua-Vero Investimentos, todos os movimentos no mercado de câmbio doméstico têm “girado em torno da política monetária, principalmente aqui no Brasil”.

Na semana passada, o Banco Central promoveu a terceira alta consecutiva de 0,75 ponto percentual da taxa Selic, a 4,25%, e a ata de seu encontro mostrou que o Comitê de Política Monetária (Copom) avaliou a possibilidade de acelerar a alta dos juros, indicando também um possível aperto maior em seu encontro de agosto.

“Com a perspectiva de um ciclo de aperto monetário um pouco mais forte, o mercado de renda fixa do Brasil fica bem mais interessante para os investidores estrangeiros”, disse Netto, referindo-se ao retorno maior dos investimentos com a alta dos juros.

Maiores altas:

Braskem (+2,82%)
Yduqs (+2,40%)
Usiminas (+2,08%)

Maiores baixas:

Eztec (-4,69%)
Pão de Açúcar (-3,95%)
BB Seguridade (-3,29%)

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).