As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta sexta-feira (14) acompanhando o tom negativo de Wall Street ontem, à medida que uma nova rodada de comentários “hawkish” (favoráveis à retirada de estímulos) de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) reforçou expectativas de aperto monetário iminente nos EUA. Já na Coreia do Sul, o juro básico voltou para níveis pré-pandemia.

Liderando as perdas na Ásia, o índice sul-coreano Kospi caiu 1,36% em Seul hoje, a 2.921,92 pontos, após o BC local – conhecido como BoK – elevar sua principal taxa de juros em 0,25 ponto porcentual, a 1,25%, trazendo a taxa para o ponto onde estava antes de a covid-19 se espalhar pelo mundo.

Em outros mercados da região, o japonês Nikkei teve queda de 1,28% em Tóquio, a 28.124,28 pontos, enquanto o Hang Seng recuou 0,19% em Hong Kong, a 24.383,32 pontos, e o Taiex registrou baixa de 0,18% em Taiwan, a 18.403,33 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto caiu 0,96%, a 3.521,26 pontos, enquanto o menos abrangente Shenzhen Composto ficou praticamente estável, com alta marginal de 0,02%, a 2.435,40 pontos, após a divulgação de números mistos da balança comercial do país, com exportações acima do esperado e importações aquém das expectativas.

O mau humor na Ásia veio após as bolsas de Nova York mostrarem perdas generalizadas ontem, pressionadas por falas de autoridades do Fed sinalizando que o BC americano terá de ser mais agressivo no aperto de sua política monetária, uma vez que o salto da inflação nos EUA tem sido mais duradouro do que se previa. Há uma unanimidade de que o Fed anunciará seu primeiro aumento de juros em março.

Na Oceania, a bolsa australiana também foi contaminada pelo sentimento de aversão a risco, e o S&P/ASX 200 cedeu 1,08% em Sydney, a 7.393,90 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).