As declarações do Congresso e do governo reforçando o compromisso com o teto de gastos e o avanço do pacote de estímulos à economia dos Estados Unidos fizeram a Bolsa subir 0,35% nesta segunda-feira (dia 19), a 98.657 pontos.

Essa melhoria nos ambientes externo e interno fez o dólar recuar 0,69%, a R$ 5,60.

O que aconteceu com a Bolsa e o dólar hoje? Hoje foi um dia de otimismo dos investidores com declarações do governo e do Congresso sobre o cenário fiscal. Além disso, as bolsas americanas abriram o pregão em alta após a presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, afirmar que está otimista que uma legislação para estimular a economia do país poderia ser aprovada antes da eleição presidencial.

Por aqui, em entrevista à CNN Brasil, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que o auxílio emergencial até poderá ser estendido por alguns meses no ano que vem, mas apenas se isso for feito dentro do limite do teto de gastos (mecanismo que limita a alta nas despesas públicas à inflação do ano anterior).

Além disso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também reafirmou o compromisso com o teto e disse que o presidente Jair Bolsonaro “está claramente do nosso lado”. Ele declarou ainda que o PIB (Produto Interno Bruto) deve cair 4% neste ano, abaixo da projeção oficial da pasta, de recuo da atividade econômica de 4,7%.

No final da tarde, o Ibovespa reduziu os ganhos após o vencimento de uma série de opções (direitos de compra ou venda de ações em uma data futura).

O destaque do dia foram os papeis de empresas de shopping centers e companhias aéreas.

Maiores altas:

Cielo (+ 6,74%)

Br Malls (+5,43%)

Gol (+ 4,51%)

Maiores baixas:

JBS (- 4,57%)

BRF (- 3,10%)

B2W (- 3,05%)

(Com a Reuters)

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).