O Ibovespa fechou em alta nesta terça-feira, após trocar de sinal algumas vezes, encontrando respaldo na melhora de bolsas no exterior, embora o cenário siga vulnerável, sem novidades relevantes positivas para fundamentar ganhos mais robustos.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,31%, a 97.293,54 pontos, tendo alcançado 97.684,16 pontos na máxima da sessão e 96.390,28 pontos no pior momento.

Dólar

O dólar emendou a terceira alta consecutiva nesta terça-feira, quando mais uma vez flertou com a resistência de R$ 5,50, com o mercado abalado por alertas sobre riscos à economia dos Estados Unidos em meio a persistentes efeitos da pandemia.

A ausência de notícias melhores no plano doméstico abriu caminho para o dólar seguir o exterior e fechar em alta de mais de 1%.

No mercado à vista, a cotação avançou 1,26%, a R$ 5,47 na venda, nova máxima desde 31 de agosto (R$ 5,48).

O fortalecimento do dólar ocorreu na parte da tarde, quando, por volta de 14h, a divisa bateu a máxima da sessão (de R$ 5,50, alta de 1,81%). Na mínima, atingida ainda pela manhã, caiu a R$ 5,39 (-0,30%).

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.