O Bitcoin caiu quase 20% em menos de duas semanas, provando que a extrema volatilidade continua sendo uma marca registrada dos investimentos em criptomoeda.

Como no mundo do Bitcoin essa oscilação é vista como algo usual, a convicção dos otimistas segue intacta – em contraste com os mercados tradicionais, onde movimentos nessa escala são recebidos com alarme. A maior criptomoeda do mundo caía 0,5% para cerca de US$ 57.280 no início das negociações de Londres na sexta-feira, um sexto dia de quedas.

“A correção do Bitcoin não é grande coisa”, escreveu Craig Erlam, analista de mercado sênior da Oanda. Embora uma quebra para US$ 50.000 “representasse uma grande correção das máximas, ainda seria relativamente pequena, considerando o quão longe chegou nos últimos meses.”

Alguns analistas dizem que uma forte retração era esperada após os preços dispararem 40% em outubro. A repressão à criptografia da China e as novas diretrizes de relatórios fiscais dos EUA estão sendo vistas como hostis para os investidores de criptografia e também azedaram o sentimento do mercado.

“Durante o inverno Bitcoin 2016/17, o momento que realmente tirou o fôlego da criptografia foi quando as taxas de juros aumentaram e a liquidez do sistema foi drenada”, disse Jamie Cox, consultor financeiro e sócio-gerente do Harris Financial Group .

As oscilações de preço de 20% ou mais não são incomuns entre as criptomoedas. Depois de bater um recorde de quase US$ 65.000 no início de abril, o Bitcoin despencou mais de 50% no final de junho antes de subir novamente. Depois de atingir quase US$ 53.000 no início de setembro, recuou cerca de 25% nas semanas seguintes.

Comportamento do investidor

Os entusiastas de ativos digitais estão acostumados a grandes oscilações e muitas vezes não se intimidam com retrocessos. Eles costumam ver o Bitcoin como uma reserva moderna de valor e proteção contra a inflação, embora tais argumentos sejam controversos.

“Quando vemos uma grande mudança, damos um passo para trás e perguntamos: algo mudou fundamentalmente? Houve um evento ou desenvolvimento material ou a mudança está sendo impulsionada por fluxos e sentimentos transitórios? ” disse Hunter Horsley, executivo-chefe da Bitwise.

“Este movimento se parece com o último”, acrescentou Horsley. “Quando olhamos para as teses fundamentais e impulsionadores do mercado, eles continuam a parecer incrivelmente otimistas.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).