O Ibovespa fechou em queda nesta sexta-feira (11), com as ações de bancos entre as maiores pressões de baixa, enquanto Embraer e BRF figuraram entre os destaques positivos. De acordo com dados preliminares, o índice de referência da B3 fechou em baixa de 0,49%, a 129.442,08 pontos.

Já o dólar fechou em alta de 1,06%, cotado a R$ 5,1207.

O que aconteceu com a Bolsa? O Ibovespa recuou nesta sexta-feira, voltando a trabalhar abaixo dos 130 mil pontos. Entre as maiores pressões de baixa estiveram os bancos, que devolveram parte dos ganhos da semana, os shopping centers, que também sofreram correção após alta recente.

O analista Rafael Ribeiro, da Clear Corretora, diz que os últimos dados de inflação já fazem o mercado precificar um aumento do ritmo de alta da taxa Selic. “E a preocupação com a inflação também ajuda a explicar a queda do setor de construção, com investidores e analistas avaliando os impactos do aumento dos custos nos vários lançamentos programados para o segundo semestre, e, por consequência, no efeito negativo nas receitas projetadas”, explica.

No exterior, o cenário do dia foi relativamente tranquilo. Na visão da economista-chefe da plataforma de investimentos da Consulenza, Helena Veronese, o quadro mais tranquilo reflete a percepção de que dados recentes da inflação dos EUA aparentemente não mudam a política monetária do Fed.

Entre os destaques do pregão, BRF assumiu a vice-liderança das altas (+3,94%) após ter sido divulgado que a JBS contratou um banco de investimentos na estratégia de avançar sobre o controle da empresa.

Maior vitoriosa do dia (+5,10%), Embraer ampliou os ganhos da véspera, quando anunciou que sua empresa de transporte aéreo urbano Eve iniciou discussões para eventual combinação de negócios com empresa de propósito específico de capital aberto nos EUA. O Bank of America elevou a recomendação dos ADRs da Embraer para “compra”.

Gerdau subiu 2,68%, em dia positivo para mineradoras e siderurgias, que se beneficiaram com a valorização do minério de ferro, que acumula 5% de alta na semana. No setor, a Vale cresceu 2,24%. Além disso, Sabesp ganhou 2,66%, após o governo de São Paulo contratar uma consultoria para fazer estudo de possível privatização da companhia.

O que aconteceu com o dólar? O dólar subiu acentuadamente contra o real nesta sexta-feira, encerrando a semana com ganhos antes das decisões de política monetária do Federal Reserve e do Banco Central do Brasil, que serão anunciadas na próxima quarta-feira.

O dólar negociado no mercado interbancário encerrou o pregão em alta de 1,06%, a R$ 5,1207. Foi a maior valorização diária desde 21 de maio (+1,511%) e o maior patamar para fechamento desde 1° de junho (R$ 5,1461). No acumulado da semana, o dólar teve alta de 1,66% contra o real.

Mauriciano Cavalcante, diretor de câmbio da Ourominas, disse à Reuters que o mercado de câmbio está num momento de espera antes da “super quarta” da semana que vem, quando se encerram os encontros do Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed (Fomc, na sigla em inglês) e do Comitê de Política Monetária do BC (Copom).

“Até a quarta-feira, vamos ver um período de especulação, e o dólar deve ficar oscilando entre R$ 5,05 e R$ 5,10 ou até mais”, afirmou.

Na maior economia do mundo, embora analistas esperem que o Fed mantenha sua postura expansionista atual na semana que vem, temores de superaquecimento econômico têm elevado ruídos relacionados a um possível aperto monetário precoce por parte do Federal Reserve.

Dados de quinta-feira mostraram que o índice de preços ao consumidor norte-americano subiu 0,6% no mês passado, após alta de 0,8% em abril, que havia sido a maior taxa desde junho de 2009.

Por outro lado, no Brasil, está claro para os investidores que o Banco Central vai dar continuidade à alta dos juros. Uma pesquisa da Reuters com economistas estima que a autarquia anunciará o terceiro aumento consecutivo de 0,75 ponto percentual na taxa Selic na próxima semana, e possivelmente vai indicar um ciclo mais agressivo à frente ao abandonar seu compromisso com uma “normalização parcial” da política monetária.

A expressão, empregada pelo BC em suas últimas publicações, significa, basicamente, “o aumento da taxa de juros com certo grau de estímulo econômico”, explicou em nota Gustavo Sung, economista da Suno Research. “Porém, com a melhora das perspectivas de crescimento e o mercado começando a enxergar uma inflação acima da meta em 2022, o ajuste parcial deveria ser revisto.”

Maiores altas:

Embraer (+5,10%)
BRF (+3,94%)
Gerdau (+2,68%)

Maiores baixas:

Raia Drogasil (-4,32%)
Iguatemi (-4,00%)
Carrefour (-3,98%)

Com a Reuters

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).