Puxada pelos bancos e pelo cenário externo positivo, a Bolsa encerrou o pregão desta quinta-feira (dia 8) em alta de 2,51%, a 97.919 pontos.

O dólar caiu 0,62%, a R$ 5,58.

O que aconteceu com a bolsa e o dólar hoje? Um relatório do UBS apontou que a expectativa é que os resultados do terceiro trimestre trarão melhoria na rentabilidade das instituições financeiras, o que turbinou as ações dos “bancões” nesta quinta.

A análise afirma que a rentabilidade subirá para 14,5% no terceiro trimestre, ante 13,3% no segundo, e que o risco de crédito também deverá cair no período.

No exterior, os investidores reagiram com otimismo a um mini pacote de estímulos anunciado ontem pelo presidente Donald Trump, de US$ 25 bilhões. Como no dia anterior Trump tinha suspendido as negociações para um acordo com os democratas, a medida animou o mercado.

Além disso, a ausência de notícias ruins para o cenário fiscal brasileiro também contribuiu. “Basta Brasília não se mexer que o mercado anda. E o inverso é verdadeiro”, comentou Ivo Chermont, sócio e economista-chefe da Quantitas.

Informações divergentes sobre financiamento do Renda Cidadã –novo programa de transferência de renda do governo–, além de outros ruídos de ordem política pressionaram os mercados nos últimos dias, diante de maior receio sobre a trajetória das contas públicas.

Maiores altas:

IRB (+ 20,19%)

Santander  (+ 8,11%)

Itaú  (+ 6,04%)

Maiores baixas:

Usiminas  (- 2,55%)

B2W (- 1,61%)

Eletrobras (- 1,44%)

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).