SÃO PAULO (Reuters) – Os ativos brasileiros negociados nos mercados externos despencavam na manhã desta quinta-feira, replicando a má reação das praças domésticas já na reta final da sessão anterior a declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre despesas fora do teto de gastos.

Contratos de real transacionados na Bolsa Mercantil de Chicado (CME) caíam 1,4%, com 1 dólar valendo 5,6306 reais. Em Paris, um ETF que acompanha o Ibovespa perdia 3,4%, maior queda desde o início de setembro e para o menor patamar desde março passado.

Os preços aqui no Brasil já haviam mostrado sinais de estresse no fim da sessão de quarta, após o ministro Paulo Guedes dizer que o governo avalia se o benefício temporário que irá vitaminar o novo Bolsa Família será pago fora do teto, o que demandaria uma licença para um gasto de cerca de 30 bilhões de reais, ou se haverá opção por uma mudança na regra constitucional do teto de gastos para acomodá-lo.

O dólar spot fechou longe das mínimas do dia, e o dólar futuro voltou a superar os 5,60 reais. O Ibovespa também fechou a uma distância da máxima da sessão.

(Por José de Castro)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).