As bolsas asiáticas fecharem sem direção única nesta terça-feira, 26, com parte delas acompanhando o tom positivo de ontem em Wall Street e as chinesas e de Hong Kong pressionadas por ações do setor imobiliário.

O índice japonês Nikkei subiu 1,77% em Tóquio hoje, a 29.106,01 pontos, graças a papéis ligados a transporte marítimo e siderurgia, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 0,94% em Seul, a 3.049,08 pontos, e o Taiex registrou ganho de 0,83% em Taiwan, a 17.034,34 pontos.

Ontem, as bolsas de Nova York tiveram alta generalizada, com o Dow Jones e o S&P 500 renovando máximas históricas de fechamento, em meio à temporada de balanços corporativos dos EUA e uma disparada na ação da Tesla, a fabricante de carros elétricos.

Por outro lado, planos do governo chinês de testar um imposto imobiliário por cinco anos, revelados no fim de semana, derrubaram ações de incorporadoras tanto na China continental quanto em Hong Kong nesta terça. O Xangai Composto caiu 0,34%, a 3.597,64 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,36%, a 2.424,39. Em Hong Kong, o Hang Seng teve baixa de 0,36%, a 26.038,27 pontos.

A iniciativa de Pequim, que tem o objetivo de combater a especulação imobiliária, vem num momento de preocupação com a frágil situação financeira da Evergrande, gigante da construção chinesa que tem tido dificuldades de honrar suas dívidas. Hoje, a ação da Evergrande sofreu um tombo de 4,12% em Hong Kong.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou praticamente estável, devolvendo quase todos os ganhos de mais cedo no pregão. O S&P/ASX 200 teve alta marginal de 0,03% em Sydney, a 7.443,40 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).