As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única e com variações modestas nesta segunda-feira, 7, à medida que investidores digeriram dados mais fracos do que se esperava da China e dos EUA.

O índice acionário japonês Nikkei subiu 0,27% em Tóquio hoje, a 29.019,24 pontos, e o sul-coreano Kospi avançou 0,37% em Seul, ao nível recorde de 3.252,12 pontos. Por outro lado, o Hang Seng caiu 0,45% em Hong Kong, a 28.787,28 pontos, e o Taiex recuou 0,37% em Taiwan, a 17.083,91 pontos.

Na China continental, os mercados tiveram ganhos contidos: o Xangai Composto se valorizou 0,21%, a 3.599,54 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,26%, a 2.413,90 pontos.

Em maio, tanto as exportações quanto as importações chinesas deram novos saltos em relação a um ano antes, favorecidas por uma base de comparação fraca influenciada pelos efeitos da pandemia de covid-19. Ambos os resultados, no entanto, vieram abaixo das expectativas.

Já nos EUA, o mercado de trabalho criou menos empregos do que se previa no mês passado, segundo dados publicados na última sexta-feira (4). Ainda que decepcionante, o indicador gerou expectativas de manutenção de estímulos monetários pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano), o que ajudou a impulsionar as bolsas de Nova York no fim da semana passada.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho hoje, após encerrar os três pregões anteriores em níveis recordes. O S&P/ASX 200 caiu 0,19% em Sydney, a 7.281,90 pontos.

(Com informações da Dow Jones Newswires).

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).