No dia seguinte à decisão do Banco Central de elevar a taxa básica de juros, a Selic, para 3,5% ao ano, o dólar encerrou em queda de 1,62%, a R$ 5,27.

Já a Bolsa se dividiu entre balanços de primeiro trimestre positivos e negativos, e fechou o pregão em leve alta de 0,30%, a 119.920 pontos.

O que aconteceu com o dólar? A moeda americana cedeu em relação ao real como reação ao comunicado do Copom (Comitê de Política Monetária), do BC, que indicou que vai promover outro aumento de 0,75 ponto percentual na taxa Selic em junho, depois de ter elevado os juros domésticos em 3,5% ao ano.

Ao elevar os juros em março, o BC anunciou estar dando início a um processo de “normalização parcial” da política monetária, indicando a intenção de ainda manter um estímulo à economia, com os juros abaixo do patamar considerado neutro (6,5%, segundo cenário básico citado pelo BC no mês passado).

Neste novo comunicado, a autoridade monetária fez um ajuste à linguagem, destacando que “no momento” o cenário básico indica a normalização parcial da taxa de juros como apropriada, “com a manutenção de algum estímulo monetário ao longo do processo de recuperação econômica”.

“(O comunicado) alertou que os passos futuros poderão ser ajustados para cumprir a meta de inflação, reduzindo bastante seu compromisso com um ajuste parcial”, disseram analistas do Bradesco em nota. “Aqui está, a nosso ver, a maior novidade na comunicação.”

Vários analistas apontavam o aumento da Selic como um fator de apoio para o real neste pregão: “sem dúvidas, estamos trabalhando com o ‘efeito Copom’ de ontem”, disse à Reuters Vanei Nagem, responsável pela mesa de câmbio da Terra Investimentos, referindo-se às perdas apresentadas pelo dólar nesta manhã.

O que aconteceu com a Bolsa? O Ibovespa teve um dia de volatilidade, dividido entre resultados corporativos que agradaram ao mercado, como a Ambev, e que decepcionaram analistas, como a Ultrapar

A fabricante de bebidas fechou o pregão em alta de mais de 8% após reportar um lucro líquido de R$ 2,7 bilhões no primeiro trimestre, mais do que o dobro do que o ano passado. Já a Ultrapar teve o pior resultado d0 dia, fechando em queda de 6,8% após ter queda no lucro, para R$ 137,4 milhões, com perdas financeiras com hedge (seguro cambial) ofuscando a melhora operacional de suas empresas.

Wall Street não mostrou um sinal único ao longo do dia, tendo de pano de fundo uma queda acima do esperado nos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA na semana passada, bem como o plano do presidente norte-americano, Joe Biden, de apoiar a quebra de patente de imunizantes contra a Covid-19.

Maiores altas:

Ambev (+8,88%)
Gerdau (+5,18%)
Sabesp (+4,92%)

Maiores baixas:

Ultrapar (-6,84%)
Locaweb (-5,56%)
Pão de Açúcar (-4,71%)

(Com a Reuters)

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).