O índice de small caps fechou o mês de novembro com queda de 2,29%, após tombo de 12,53% em outubro.

Em geral, as ações do índice de small caps são mais voláteis. Quando há mais aversão a risco, elas sofrem mais. Já quando o Ibovespa sobe, o índice tende a subir ainda mais”, afirma Alexsandro Nishimura, economista, head de conteúdo e sócio da BRA.

“As empresas que compõe o índice de small caps costumam ter receitas menos previsíveis e serem mais endividadas”, afirma João Abdouni, especialista em investimentos da Inversa Publicações.

Para Alexsandro Nishimura, as empresas que tiveram melhor desempenho no mês passado foram puxadas pelos próprios bons fundamentos ou por notícias específicas sobre elas. Alguns casos refletem os balanços do terceiro trimestre.

De acordo com um levantamento feito pela Economatica, as ações da Ânima, da Alliar e da Light foram os destaques positivos do índice de small caps, enquanto as maiores baixas ficaram com Locaweb, Enjoei e CSU Cardsystem.

Maiores altas:

  1. Ânima (ANIM3): +29,70%;
  2. Alliar (AALR3): +25%;
  3. Light S/A (LIGT3): +24,38%;
  4. Unipar (UNIP6): +23,73%;
  5. Mitre Realty (MTRE3): +21,22%;
  6. Vulcabras (VULC3): +20,20%;
  7. Locamerica (LCAM3): +17,44%;
  8. Santos Brasil (STBP3): +16,31%;
  9. Grupo Sbf (SBFG3): +16,24%;
  10. Valid (VLID3): +15,69%.

A Ânima foi o grande destaque do índice de small caps. Ontem, a empresa anunciou a venda de 25% de participação em sua subsidiária de medicina Inspirali para a empresa de investimentos brasileira especializada em saúde DNA Capital por R$ 1 bilhão em dinheiro.

Para a XP, o negócio deve impulsionar o crescimento e a lucratividade da Ânima, já que consolida a companhia como uma das principais ofertantes de cursos de medicina e torna a Inspirali uma empresa independente, o que pode destravar valor.

Em segundo lugar, aparece a Alliar, empresa do setor de saúde. De acordo com a Nau Capital, a alta foi influenciada pela proposta de aquisição feita pela Tanure.

“Isso equivale a Tanure ter que desembolsar cerca de R$ 2,4 bilhões caso fique com 100% da Alliar. Até o momento, o empresário Nelson Tanure investiu cerca de R$ 400 milhões pela participação de cerca de 25% que pertencia ao Pátria. Atualmente, ele possui 29% da companhia”, afirma a Nau Capital.

Maiores quedas:

  1. Locaweb (LWSA3): -27,92%;
  2. Enjoei (ENJU3): -27,75%;
  3. Csu Cardsystem (CARD3): -25,74%;
  4. Sequoia Logística (SEQL3): -24,62%;
  5. Neogrid (NGRD3): -20,56%;
  6. Oceanpact (OPCT3): -20,23%;
  7. Tecnisa (TECN3): -19,32%;
  8. Boa Vista (BOAS3): -17,85%;
  9. Omega (OMGE3): -17,08%;
  10. Espaçolaser (ESPA3): -16,58%.

Por ser uma empresa de tecnologia, a Locaweb tem sido bastante prejudicada pelo cenário macroeconômico, com aumento de juros e inflação mais duradoura.

“Os analistas viram o resultado da Locaweb no terceiro trimestre como positivo, no entanto, por ser do setor de tecnologia, é muito sensível ao cenário de altas de juros. Normalmente, essas empresas precisam se financiar para continuar crescendo e acabam sendo prejudicadas quando temos um aumento do juros”, afirma Nishimura.

O Enjoei ficou em segundo lugar no ranking, depois de reportar resultados fracos no terceiro trimestre, de acordo com a XP. “As despesas com venda caíram como o percentual do GMV, enquanto a empresa segue reduzindo os investimentos em marketing diante de uma cenário mais desafiador para o e-commerce e consumo. Com isso, o prejuízo líquido ajustado totalizou R$ 23 milhões”, afirma relatório.

Já a Tecnisa, por exemplo, registrou aumento de 30% em seu prejuízo líquido no terceiro trimestre, o que influenciou nos papéis da companhia.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).