Atualizado às 18h26

Depois de renovar as mínimas do ano, o Ibovespa fechou em alta nesta terça-feira, com suporte de empresas ligadas a commodities, como Petrobras e Vale. O principal índice da bolsa paulista subiu 1,50%, para 103.653 pontos. No início da tarde, chegou a reverter os ganhos e cair até a mínima intradiária de 2021, a 101.736,31 pontos, antes de buscar a recuperação.

O resultado de hoje foi puxado pelas ações das siderúrgicas e mineradoras, beneficiadas pela valorização do minério de ferro na China, e das petroleiras, que surfaram a alta dos preços do petróleo depois que os EUA anunciaram planos de liberar até 50 milhões de barris de suas reservas.

Entre as maiores altas do pregão, os destaques foram Braskem (+6,68%), Petrobras PN (+5,46%), PetroRio (+5,20%), Usiminas (+4,76%), Petrobras ON (+4,70%) e CSN (+3,44%).

No campo oposto, a lista de maiores baixas é encabeçada por Méliuz (-5,43%), Totvs (-4,89%) e Petz (-4,02%), Ecorodovias (-3,70%), Gol (-3,46%) e Locaweb (-3,29%).

“Locaweb tem um múltiplo muito alto, um crescimento implícito nas ações. Quando o mercado chacoalha, esse tipo de ação chacoalha mais”, afirma Leonardo Milane, sócio e economista da VLGI.

O dólar à vista subiu 0,26%, a R$ 5,6085 na venda. O mercado mais uma vez ficou atento às informações vindas de Brasília sobre o andamento da PEC dos Precatórios no Senado e reagiu bem a manchetes de que o parecer a ser apresentado pelo relator Fernando Bezerra (MDB-PE) não imporá um valor fixo para o Auxílio Brasil, pivô da existência da PEC.

Investidores agora esperam a aprovação do texto da PEC sem grandes mudanças em direção a novas aventuras fiscais, depois de já terem reagido muito mal à proposta em curso, que, ao contemplar furo do teto de gastos, sacudiu os mercados e empurrou o dólar aos níveis atuais, perto de R$ 5,60.

O tema fiscal segue como principal ponto de preocupação no mercado brasileiro. Porém, o ambiente externo mais arisco e de dólar mais forte também têm pesado. Nesta terça, inclusive, a força da moeda norte-americana no exterior segurou a cotação no azul por aqui. O dólar tinha a maior alta desde março contra uma cesta de divisas emergentes, de mais de 1%, alavancado pelo salto de mais de 11% ante a lira turca, que afundou a novas mínimas recordes por temores de desestabilização econômica completa na Turquia liderada por Recep Tayyip Erdogan.

Soma-se a isso a narrativa de que os Estados Unidos estão caminhando para uma alta antecipada de juros, movimento que tem o poder de turbinar o preço do dólar, por aumentar a atratividade da moeda norte-americana.

“Precisaria haver melhora lá fora (para uma recuperação do real), mas no curto prazo não estou vendo, porque a expectativa é que a inflação siga pressionada nos países desenvolvidos, especialmente nos Estados Unidos”, disse Luciano Rostagno, estrategista-chefe do banco Mizuho. “Assim, é pouco provável vermos uma recuperação sustentada do real até o fim do ano”, completou, prevendo dólar de R$ 5,60 ao fim de dezembro.

Estrategistas do banco francês veem a taxa de câmbio em R$ 5,90 já no primeiro trimestre de 2022, superando a barreira dos R$ 6 ao término de junho e fechando o ano em R$ 6,40, por uma combinação de incertezas externas (política monetária mais apertada nos EUA, economia da China em desaceleração) e domésticas (fiscal expansionista e eleição presidencial).

“O risco de um episódio de fortalecimento do dólar como 2014-2015 é também algo a ser monitorado de perto”, disseram em relatório de cenário para 2022.

Em meio a uma crise político-econômica doméstica e um surto de valorização global do dólar, a moeda dos EUA saltou 67% no acumulado de 2014 e 2015, saindo de R$ 2,36 para R$ 4. Apenas em 2015, o salto foi de 48,5%. Atualmente, o pico intradiário do dólar é de R$ 5,876, alcançado em 9 de março deste ano.

Ações europeias tocam mínima em 3 semanas com alta da Covid-19; papéis de petróleo e mineradoras avançam (14h26)

As ações europeias caíram para uma mínima em três semanas nesta terça-feira, registrando sua pior sessão em quase dois meses, com o ressurgimento de casos de Covid-19 aumentando temores de restrições mais rígidas na região, enquanto os papéis de energia e mineradoras subiram com a alta dos preços das commodities.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,2%, a 1.856 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,28%, a 479 pontos.

Apenas os setores de petróleo e gás e recursos básicos registraram alta. As ações de energia acompanharam ganhos nos preços do petróleo, mesmo após os Estados Unidos liberarem o uso de suas reservas de emergência.

As mineradoras também subiram, com analistas apontando melhora nas tendências econômicas na Ásia.

As ações de tecnologia da Europa caíram 3,4%, marcando sua maior queda percentual diária em dois meses, já que perspectivas de aumentos de juros prejudicaram o apelo do setor de alto crescimento.

O presidente dos EUA, Joe Biden, escolheu na segunda-feira Jerome Powell para continuar como chair do Federal Reserve, intensificando as apostas de aumentos de juros nos EUA já em 2022. Operadores do mercado monetário agora precificaram totalmente uma alta de 0,1 ponto percentual nos juros pelo Banco Central Europeu (BCE) em dezembro de 2022, ante probabilidade de apenas 50% na véspera.

Os receios crescentes de que uma quarta onda de infecções por Covid-19 impedirá a recuperação europeia, num momento em que os bancos centrais estão planejando a retirada do suporte monetário, também afastou os investidores das ações.

  • Em Londres, o índice Financial Times avançou 0,15%, a 7.266,69 pontos;
  • Em Frankfurt, o índice DAX caiu 1,11%, a 15.937,00 pontos;
  • Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 0,85%, a 7.044,62 pontos;
  • Em Milão, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 1,62%, a 26.939,40 pontos;
  • Em Madri, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,07%, a 8.815,10 pontos;
  • Em Lisboa, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,40%, a 5.497,53 pontos.

Guedes diz que economia deve continuar crescendo e que vai combater a inflação (13h54)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça que a economia brasileira deve continuar crescendo e que vai combater a inflação. Ele participou no período da manhã de audiência nas comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público e de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados.

“São R$ 700 bilhões de investimentos já contratados, não é um plano, são contratos assinados”, disse Guedes. “O governo está fragilizado, se endividou muito, quase quebrou, foi dilapidado. Quando os senhores legislam destravando os investimentos privados, há uma invasão de centenas de bilhões”, completou, falando aos deputados.

Guedes disse que o desemprego no Brasil já era o dobro do mundo, considerando os “40 milhões de invisíveis” de antes, e que o aumento da inflação no País está em linha com o observado no resto do mundo.

Contratos futuros do minério de ferro disparam na China

Os contratos futuros do minério de ferro na China subiram nesta terça-feira, atingindo seu limite diário de 10% na sessão da manhã, com a expectativa de retomada da produção pelas siderúrgicas após controles rigorosos nos últimos meses, por determinação do governo.

“O lado da oferta de minério de ferro não mudou muito recentemente, mas mais usinas estão planejando aumentar a produção no mês que vem”, disse um trader de Pequim.

Outro trader de minério de ferro de Shandong afirmou que o mercado está negociando com a expectativa de aumento na produção de aço em dezembro.

(com Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).