Atualizado às 18h31

O Ibovespa fechou nesta terça-feira (30) em queda de 0,87%, a 101.915 pontos, o menor fechamento do ano. Declaração do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, ajudou a piorar uma sessão já negativa por conta de receios globais com a variante ômicron.

Por outro lado, o avanço da PEC dos Precatórios no Congresso serviu de contraponto. A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou o relatório por 16 votos a 10.

Em relação ao coronavírus, o mercado global se afligiu quando o presidente-executivo da farmacêutica Moderna disse que as vacinas contra covid-19 dificilmente serão tão eficazes contra a ômicron quanto são contra outras cepas do vírus. “Não existe um mundo, acho, onde (a eficácia) é do mesmo nível… que tivemos com a delta”, disse Stéphane Bancel, em uma entrevista ao jornal Financial Times.

Nos EUA, as bolsas caíram após a declaração, enquanto índices europeus também recuaram. O petróleo desabou mais de 3%.

No fim da manhã, o chefe do banco central dos Estados Unidos fez declarações que indicaram aceleração do aperto monetário. Powell falou sobre deixar de usar o termo “transitório” para se referir à inflação e disse que, em dezembro, o colegiado do Fed discutirá antecipar a conclusão do processo de redução de estímulos. Isso fortaleceu no mercado a expectativa de que haverá uma antecipação da alta dos juros por lá.

Essa fala trouxe forte volatilidade inclusive no mercado de câmbio, fazendo o dólar futuro saltar de R$ 5,5782 para além de R$ 5,70, em meio a um rali global pela moeda norte-americana.

A cotação do dólar a vista também passou a subir, indo a uma máxima de R$ 5,6715, salto de 1,07%. Depois, perdeu fôlego, mas mesmo assim fechou a última sessão de novembro em alta de 0,45%, a R$ 5,6367, maior valor desde 1º de novembro.

Com essa nova valorização, a moeda praticamente zerou a queda acumulada em novembro, ficando com variação negativa de 0,09%.

Ouro fecha em baixa, pressionado por falas ‘hawkish’ de Powell (16h19)

O contrato mais líquido do ouro fechou em baixa nesta terça-feira, 30, em sessão na qual apresentou volatilidade. O ativo começou o dia operando em alta, em especial ao aparecer como um porto seguro em meio aos temores pela variante Ômicron do coronavírus. Por sua vez, o testemunho do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, no Senado dos Estados Unidos pressionou o metal, já que apresentou um tom observado como hawkish.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro recuou 0,49%, a US$ 1.776,50 por onça-troy.

Antes das falas de Powell, o TD Securities avaliava que a variante Ômicron catalisou uma mudança nos preços do ouro para aumentos de juros do Fed, em linha com as expectativas do banco de investimentos para um abrandamento do crescimento e da inflação. “A variante também adiciona uma quantidade significativa de incerteza em torno da aceleração potencial da redução” de estímulos, cenário que sugeria um viés de alta para o metal.

Por sua vez, quando questionado no Senado sobre o teste de três passos para elevar juros – atingir máximo emprego, ter inflação acima de 2% e uma perspectiva melhor para inflação -, Powell disse acreditar que os critérios foram alcançados. Segundo o dirigente, o impacto da Ômicron sobre a economia não deve ser “remotamente próximo” do visto em 2020, quando houve lockdowns. “Tentamos adaptar nossa política monetária conforme os desenvolvimentos e vamos continuar a fazer isso”, afirmou.

O resultado foi um ouro pressionado, já que as falas deram força ao dólar, moeda na qual o metal é cotado, e sugeriu uma elevação nos juros, o que tende a impulsionar os rendimentos dos Treasuries, e pressionar o metal, que compete com os ativos.

CCJ aprova relatório da PEC dos Precatórios, rejeita destaques e conclui votação (15h20)

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado concluiu a votação da PEC dos Precatórios após aprovar o relatório por 16 votos a 10. O governo do presidente Jair Bolsonaro quer liquidar a tramitação nesta terça-feira, 30, mas a votação no plenário poderá ficar para quinta, 2.

Os integrantes do colegiado rejeitaram os destaques apresentados. O líder do governo e relator da PEC, Fernando Bezerra (MDB-PE), anunciou uma nova mudança para incluir a renda básica como um direito na Constituição a pessoas em vulnerabilidade social. Há pressão para mais alterações na votação final.

Previsões sobre PIB em 2022 estão exageradas e inflação vai incomodar mais, afirma Guedes (15h10)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reconheceu que a economia vai desacelerar com força em 2022, mas pontuou que as previsões de que não haverá crescimento estão exageradas, ao passo que a inflação vai incomodar mais.

Ao participar presencialmente do Encontro Nacional da Indústria da Construção, ele avaliou que o avanço inflacionário é do “tipo chato” e “indigesto”, ligado a um choque adverso de oferta.

“Desacelera, sim. Por isso que a gente não vai crescer 4,5% ou 5% de novo, vai crescer bem menos. Mas partir daí para dizer que vai ter recessão é a turma da falsa narrativa, não é isso que vai acontecer, vai dar desacelerada forte”, afirmou.

Guedes disse que ficará tranquilo com a inflação quando os juros básicos estiverem à frente do avanço de preços na economia.

“Hoje nós estamos com a inflação ainda na frente dos juros… na hora que você tiver o juro real funcionando a coisa começa a amainar de novo”, afirmou.

O ministro elogiou em seguida o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e indicou que a política monetária “leva um tempo para funcionar”.

“Eu sou da geração antiga que era à machadada. Na época do Paul Volcker (ex-presidente do BC norte-americano), você dava uma pancada nos juros de uma vez só, vendia bilhões de dólares de reserva, afundava o câmbio logo. Mas é outra geração, tem hoje toda uma metodologia de combate que é baseada nas metas de inflação, no aviso, justamente para não causar muito desacerto, muita turbulência na economia”, disse.

Antes dessas considerações, o ministro havia dito, ainda sobre o tema da inflação, que a aprovação da autonomia formal do BC veio na hora certa, quando os preços começaram a subir no início deste ano, sendo a medida correta para combater o avanço inflacionário.

“Você tem que fazer o certo e esperar dar certo, não dá para ficar inventando”, disse o ministro.

Guedes avaliou que a inflação subiu no mundo inteiro, já que era zero nos Estados Unidos e foi para 6%. “Era 4% no Brasil e foi para 10%”, complementou.

Em relação à PEC dos Precatórios, cuja tramitação enfrenta resistência no Senado, Guedes disse confiar que a Casa aprovará a medida, dando ao governo “pelo menos” espaço fiscal no Orçamento de 2022 após a não apreciação da reforma do Imposto de Renda.

O ministro afirmou que a PEC é “o menos ruim do que pode acontecer com o Brasil no momento”.

“Espero aprovação, acredito no senso de responsabilidade do Senado”, disse.

Embora a proposta tenha sido “bastante modificada” em relação à versão desenhada no ministério, Guedes afirmou que ela é “essencial”.

A PEC abre um espaço de 106,1 bilhões de reais no Orçamento de 2022 ao instituir, de um lado, uma trava ao crescimento anual das despesas com precatórios e, de outro, ao mudar a janela de correção da regra do teto de gastos.

Questionado sobre as emendas de relator, o ministro da Economia avaliou ser natural que quem ganhou as eleições tenha mais recursos do que quem perdeu.

“Não é errado em lugar nenhum mundo que quem está no poder tenha mais comando sobre os recursos. Isso é normal, para isso que você ganha eleição. Você ganha eleição para fazer o seu programa”, disse.

Em meio à votação no Congresso de medidas para dar mais transparência a essas emendas, contudo, ele avaliou que “qualquer medida no sentido de transparência é muito bom para o Brasil”.

O STF suspendeu o pagamento das emendas de relator neste mês, quando a Câmara discutia a PEC dos Precatórios, prioritária para o governo.

Parlamentares e partidos contrários à proposta recorreram ao STF argumentando que esse instrumento de distribuição de recursos –também chamado de “orçamento secreto” diante da dificuldade de rastrear os beneficiários dos repasses– estaria sendo utilizado como moeda de troca para a aprovação da PEC.

Guedes disse ainda que o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia chegou a pedir 30 bilhões de reais para emendas de relator e, à época, não houve “essa convulsão toda”.

“Possivelmente naquela altura o presidente da Câmara garantiu aqueles recursos para ficar independente do governo e fazer a política mesmo sendo oposição ao governo. Ninguém reclamou”, afirmou o ministro.

“Agora que é metade daquele dinheiro, mas é para apoiar o governo e fazer as reformas, aí todo mundo descobriu que orçamento é secreto, que aquilo está errado. Aquilo não foi criado pelo (presidente da Câmara, Arthur) Lira, aquilo foi criado antes”, completou.

Guedes lembrou ainda que a Economia teve que vetar o valor das emendas de relator tanto em 2020 quanto em 2021.

Locaweb e Méliuz são maiores baixas do índice (13h40)

GOL PN cai 3,91%, AZUL PN cede 4,21% e CVC ON tem queda de 5,43%, em novo dia negativo nos mercados globais para ações ligadas à turismo e viagens por conta de receios de novas medidas de isolamento social que podem ser desencadeadas pela variante ômicron.

VALE ON sobe 0,12%, após os contratos futuros do minério de ferro chinês saltarem mais de 6% nesta terça-feira, impulsionados pela recente demanda de reabastecimento das siderúrgicas. GERDAU PN, que realizou reunião com analistas e investidores, cai 0,19%.

B3 ON é uma das principais contribuições negativas para o índice, com queda de 3,39%, a terceira baixa consecutiva.

ÂNIMA ON, que não está no Ibovespa, sobe 17,8%, após a anunciar venda de 25% de participação em sua subsidiária de medicina Inspirali para a DNA Capital por R$ 1 bilhão. Setor de educação acompanha movimento e YDUQS ON e COGNA ON estão entre os melhores desempenho do Ibovespa em percentual, embora ambas operem no vermelho.

LOCAWEB ON cai 9% e MÉLIUZ ON recua 8,51%, marcando as maiores quedas em percentual do índice.

AREZZO&CO ON, que não está no Ibovespa, cai 1%, após anunciar acordo para a compra da Guaraná Brasil, que controla a marca Carol Bassi, em uma transação de R$ 180 milhões.

Wall St recua por temores sobre ômicron após alerta acerca de vacinas (11h49)

As ações dos Estados Unidos abriram em forte queda nesta terça-feira, após alerta do presidente executivo da fabricante de vacinas Moderna sobre a eficácia dos imunizantes atualmente disponíveis contra a variante ômicron da Covid-19, o que prejudicava papéis de viagens, energia e bancos.

Às 11:46 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,75%, a 34.874 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 0,65152%, a 4.625 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 0,14%, a 15.760 pontos.

Governo está confiante que aprova PEC com 14 ou 15 votos na CCJ, diz Bezerra (10h07)

O líder do governo e relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse estar confiante na aprovação da medida com 14 ou 15 votos favoráveis no colegiado. O cálculo representa um placar apertado.

Se todos os 27 titulares votarem, por exemplo, são necessários no mínimo 14 votos a favor.

“São pequenos ajustes. O governo está confiante de que aprova o relatório na sessão logo mais com aproximadamente 14, 15 votos, e vamos pedir ao presidente Rodrigo Pacheco que paute a votação em plenário se possível ainda à tarde”, disse Bezerra, para quem o avanço das negociações pode antecipar o prazo citado na segunda-feira, 29, por Pacheco, de votar a PEC no plenário apenas na quinta-feira, 2.

Temor de que vacinas não sejam eficazes contra ômicron abala mercados (9h32)

O presidente-executivo da farmacêutica Moderna provocou novo alarme nos mercados financeiros nesta terça-feira ao alertar que as vacinas contra covid-19 existentes não seriam tão eficazes contra a variante ômicron do coronavírus quanto são contra a delta.

Grandes mercados de ações europeus tiveram quedas de cerca de 1,5% no início do pregão, o índice Nikkei de Tóquio fechou em baixa de 1,6%, os futuros do petróleo bruto recuaram mais de 3% e o dólar australiano atingiu uma mínima em um ano depois que os comentários de Stéphane Bancel desencadearam o temor de que a resistência à vacina possa prolongar a pandemia.

“Não existe um mundo, acho, onde (a eficácia) é do mesmo nível… que tivemos com a delta”, disse Bancel em uma entrevista ao jornal Financial Times.

“Acho que será uma queda palpável. Só não sei o quanto, porque precisamos esperar pelos dados. Mas todos os cientistas com os quais converso… dizem coisas do tipo ‘isto não será nada bom’.”

Em contrapartida, Emer Cooke, diretor-executiva da Agência Europeia de Medicamento (EMA), disse ao Parlamento Europeu que, mesmo que a nova variante se torne mais generalizada, as vacinas atuais continuarão oferecendo proteção.

Andrea Ammon, que preside o Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), disse que 42 casos da variante foram confirmados em 10 países da UE. Houve outros seis casos “possíveis”.

Ela disse que os casos vistos foram leves ou assintomáticos, embora em faixas etárias mais jovens.

A Moderna não respondeu a um pedido de comentário da Reuters, nem disse para quando espera dados sobre a eficácia de sua vacina contra a ômicron, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse representar um risco global “muito alto” de surtos de infecções.

Notícias do surgimento da nova variante retiraram cerca de 2 trilhões de dólares em valor das ações globais na sexta-feira, após a variante ser identificada no sul da África e anunciada no dia 25 de novembro.

A OMS e cientistas também dizem que podem ser necessárias semanas para se entender se a ômicron pode causar doenças graves ou escapar da proteção contra imunidade induzida pelas vacinas.

Cooke disse que testes de laboratório de “neutralização cruzada” levarão cerca de duas semanas. Se houver necessidade de alterar vacinas contra Covid-19, novas versões poderiam ser aprovadas dentro de três a quatro meses, acrescentou ela.

“A vacinação provavelmente ainda manterá vocês fora do hospital”, disse John Wherry, diretor do Instituto Penn de Imunologia da cidade norte-americana da Filadélfia.

A Moderna e as farmacêuticas BioNTech e Johnson & Johnson estão trabalhando em vacinas que visam especificamente a ômicron para o caso de seus imunizantes atuais não serem eficazes contra ela. A Moderna também tem testado uma dose mais alta de sua vacina existente.

Desemprego cai para 12,6% em setembro, mas ainda atinge 13,5 milhões, aponta IBGE (9h08)

A taxa de desemprego no Brasil recuou para 12,6% no trimestre encerrado em setembro, mas a falta de trabalho ainda atinge 13,5 milhões de brasileiros, segundo pesquisa divulgada nesta terça (30) pelo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Apesar da queda do desemprego, a informalidade cresceu e o rendimento real dos brasileiros teve uma queda.

Os dados fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínu). No levantamento anterior, referente ao trimestre encerrado em agosto, a taxa de desemprego estava em 13,2%, atingindo 13,7 milhões de pessoas.

“No terceiro trimestre, houve um processo significativo de crescimento da ocupação, permitindo, inclusive, a redução da população desocupada, que busca trabalho, como também da própria população que estava fora da força de trabalho”, diz a coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Adriana Beringuy.

Inflação na zona do euro tem recorde em novembro, provavelmente chegando a pico (8h12)

A inflação da zona do euro disparou à maior taxa já registrada em novembro devido ao aumento dos custos de energia, provavelmente atingindo um pico antes de uma lenta desaceleração que vai mantê-la alta por grande parte do próximo ano, mostraram dados da Eurostat nesta terça-feira.

A alta dos preços ao consumidor nos 19 países que usam o euro acelerou a 4,9% em novembro sobre o ano anterior, de longe o nível mais alto nos 25 anos da série histórica, de 4,1% um mês antes e acima da expectativa de 4,5%.

Os preços da energia dispararam 27% em comparação com o mesmo período do ano anterior, refletindo a alta dos custos do petróleo, mas a inflação de serviços e produtos industriais não relacionados a energia, um peso nos últimos anos, ficou acima de 2%, sugerindo rápido aumento nas pressões de preços.

Embora a inflação esteja agora em mais do que o dobro da meta de taxa de 2% do Banco Central Europeu, isso não deve provocar qualquer ação de política monetária, mesmo que os dados possam desencadear pressão política sobre o BCE para que contenha o aumento dos preços.

Há tempos o BCE argumenta que o salto da inflação é temporário, causado por uma série de fatores pontuais, e que vai enfraquecer com o tempo. Portanto, uma ação de política monetária agora seria contraprodutiva, já que prejudicaria o crescimento econômico bem quando a inflação começa a diminuir por si só.

Bolsas da Ásia fecham sem direção única, com recuperação contida por Ômicron (7h35)

As bolsas da Ásia fecharam sem direção única nesta terça-feira, à medida que os mercados tentaram recuperar as consideráveis perdas da véspera, mas esbarraram em novas preocupações quanto à variante Ômicron do coronavírus.

Em entrevista ao jornal Financial Times, o CEO da Moderna, Stéphane Bancel, disse que as vacinas devem ter eficácia reduzida contra a nova cepa e alertou que as farmacêuticas podem demorar alguns meses para produzirem um imunizante eficiente. As declarações induziram uma onda de vendas de ativos de risco durante a madrugada, que prejudicou as ações asiáticas.

No Japão, o índice Nikkei chegou a abrir em alta na Bolsa de Tóquio, mas terminou o pregão em baixa de 1,63%, a 27.821,76 pontos. O Japão confirmou hoje o primeiro caso da Ômicron no país, de um viajante vindo da Namíbia. Na segunda, o país havia anunciado que barraria a entrada de estrangeiros.

Em Hong Kong, o Hang Seng baixou 1,58%, a 23.475,26 pontos. As aéreas Cathay Pacific (-3,37%) e China Southern Airlines (-2,93%) estenderam as perdas de segunda-feira, em meio aos temores de que a variante do vírus prejudique a já incerta retomada do turismo.

Na China continental, Xangai subiu levemente 0,03%, a 3.563,89 pontos, enquanto Shenzhen, de menor abrangência, avançou 0,09%, a 2.519,27 pontos. Na segunda-feira, o Escritório Nacional de Estatísticas chinês (NBS, na sigla em inglês) informou que o índice de gerentes de compras (CPI, na sigla em inglês) industrial do país se elevou de 49,2 em outubro a 50,1 em novembro.

Na Coreia do Sul, o Kospi registrou desvalorização de 2,42%, a 2.839,01 pontos, na Bolsa de Seul. Essa foi a sexta sessão consecutiva de perdas nos negócios sul-coreanos.

O índice Taiex, de Taiwan aumentou 0,58%, a 17.427,76 pontos.

Na Oceania, o índice S&P/ASX 200, de Sidney, ganhou 0,22%, a 7.256,00 pontos.

Powell, do Fed, vê persistência da inflação e riscos da Covid-19 (7h32)

O chair do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou na segunda-feira que continua a esperar que a inflação retroceda no próximo ano conforme a oferta e a demanda se equilibrarem, mas alertou que a nova cepa da Covid-19 turva o cenário, e que os preços podem continuar a subir por mais tempo do que imaginado antes.

“É difícil prever a persistência e efeitos das restrições de oferta, mas parece agora que fatores que elevam a inflação vão persistir no próximo ano”, disse Powell em declarações preparadas para esta terça-feira no Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos, e divulgadas na segunda pelo Fed.

A economia continua a se fortalecer, e o mercado de trabalho a melhorar, elevando os salários, disse ele.

Mas o recente aumento nos casos de Covid-19 e o surgimento da nova variante ômicron “apresenta riscos negativos ao emprego e à atividade econômica e elevada incerteza para a inflação”, disse ele, destacando que preocupações relacionadas à saúde podem “reduzir a disposição das pessoas em trabalhar presencialmente, o que pode desacelerar o progresso no mercado de trabalho e intensificar os problemas na cadeia de oferta”.

Neste mês, o Fed começou a reduzir seu suporte à economia reduzindo gradualmente as compras de ativos a um ritmo que pode encerrá-las até junho próximo.

Mas com a inflação registrando mais do que o dobro da meta de 2% do Fed, autoridades do Fed têm dito cada vez mais que estão abertas a potencialmente acelerar a redução das compras para abrir caminho a um aumento de juros mais cedo se necessário.

Powell não falou sobre o cronograma de redução das compras em suas declarações preparadas, mas disse que o mercado de trabalho tem “espaço para se recuperar” antes de alcançar o pleno emprego, uma das condições que o Fed determinou para avaliar aumentar os juros ante o atual nível perto de zero.

Segundo Powell, o Fed “está comprometido com nossa meta de estabilidade de preços”, e usará suas ferramentas para sustentar a economia e o mercado de trabalho e para “impedir que a inflação mais elevada se torne arraigada”.

(Com Reuters e Agência Estado)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).