Atualizado às 19h15

O Ibovespa fechou nesta segunda-feira (6) em alta de 1,70%, a 106.858 pontos, maior fechamento desde 11 de novembro. A terceira alta seguida veio em meio a um clima positivo, com a diminuição dos receios em relação à variante ômicron e o andamento da PEC dos Precatórios.

Vale foi a maior contribuição positiva para o índice, enquanto Rumo ocupou a ponta oposta.

As ações abriram em alta, em linha com as bolsas europeias e petróleo, em meio a informações preliminares menos negativas sobre a variante ômicron. A abertura positiva em Nova York deu novo impulso, além de informação sobre encontro de autoridades do Congresso para debater a PEC dos Precatórios. “A terceira alta consecutiva  da Bolsa é mais por conta dessa melhora da perspectiva”, disse Fred Nobre, analista sênior de investimentos da Warren.

Uma autoridade de saúde sul-africana disse que a nova variante do coronavírus causa infecções leves, enquanto Anthony Fauci, principal autoridade de doenças infecciosas dos EUA, disse que “não parece haver grande grau de gravidade” da variante até agora.

Os principais índices de Wall Street tiveram alta firme, com destaque para setores economicamente sensíveis e ações ligadas a viagens. No Brasil, a diminuição nos temores impulsionou papéis de aéreas e de CVC.

Na cena política, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e o da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), se reuniram com líderes de bancada para discutir a promulgação de partes da PEC dos Precatórios aprovadas pelas duas Casas. Uma fonte que acompanha as negociações disse à Reuters que parlamentares estão perto de um acordo para a promulgação ‘fatiada’, em sessão do Congresso Nacional ainda sem data, na tentativa de possibilitar o pagamento do Auxílio Brasil ainda neste ano.

A PEC, que altera as regras de dívidas do governo cujo pagamento foi determinado pela Justiça e modifica o prazo de correção do teto de gastos, não agradou o mercado – mas foi vista como a opção viável, em meio a temores de planos alternativos.

Na agenda dos próximos dias está a decisão de política monetária pelo Banco Central, que deve subir a Selic em 1,5 ponto percentual, segundo a projeção de economistas em pesquisa semanal Focus do Banco Central. Eles também elevaram levemente as estimativas para inflação neste ano e de 2022.

Na semana que vem, os formuladores de política monetária do Federal Reserve, dos EUA, se reúnem.

dólar fechou em alta de 0,25%, a R$ 5,6925 na venda. O fator de pressão sobre o câmbio brasileiro é a possibilidade de aumentos antecipados de juros nos Estados Unidos. Juros maiores em um país tendem a elevar a atratividade de sua moeda, uma vez que aumentam a rentabilidade dos investimentos no mercado de renda fixa local.

“A decisão sobre a alta de juros no Brasil [que será anunciada nesta quarta] já havia sido precificada em 1,5 ponto percentual. Isso faz o investidor externo olhar de novo para o Brasil e trazer recursos”, explicou Lucas Schroeder, diretor de operações da Câmbio Curitiba. “Mas a gente acaba tendo que disputar com os Estados Unidos”.

Na prática, se o Fed americano acelerar o ritmo de redução de seus estímulos e antecipar aumentos de juros para 2022, como o chair Jerome Powell sinalizou abertamente na semana passada, isso poderá limitar o efeito do ciclo de alta da Selic sobre o mercado de câmbio doméstico.

“Competir com (aumentos de) juros nos Estados Unidos é difícil, porque investir lá é muito seguro; a maior economia do mundo não dá calote”, disse Schroeder.

Gol tem maior alta em mais de um ano e Vale salta 5,4%; veja outros destaques do dia (19h12)

Gol disparou 11,3%, maior alta desde novembro de 2020, enquanto Azul subiu 10,6%, o maior salto desde maio, em meio a menores receios com a variante ômicron. A Gol divulgou dados operacionais de novembro: a demanda por seus voos subiu 17,1% ante mesmo mês de 2020, enquanto a oferta avançou 20,4%. CVC teve alta de 5,9%.

Méliuz afundou 11,7%, devolvendo parte dos ganhos da última sessão, quando subiu mais de 30% na esteira de divulgação de dados da Black Friday.

Vale subiu 5,4%, seguida por outras empresas de commodities metálicas, como Usiminas, que teve alta de 3,9%, e CSN, que avançou 3,7%. Os contratos futuros do minério de subiram.

Petrobras PN subiu 0,45% e a ON avançou 0,9%, mesmo após disparada de quase 5% do petróleo. O presidente Jair Bolsonaro disse ao Poder360 que a empresa deve nesta semana anunciar redução no preço de combustíveis. A estatal disse que não antecipa decisões de reajustes. As ações da Petrobras vinham performando melhor que o petróleo em parte dos últimos pregões.

Itaú subiu 1,2%, Bradesco PN avançou 2,1%, Banco do Brasil teve alta de 2,7% e Santander fechou estável.

Rumo caiu 2,8% e Cosan cedeu 2,2%.

Braskem avançou 9,8%, na quarta sessão positiva seguida. Na semana passada, a Novonor disse que avalia vender as ações da companhia em follow-on e a Braskem anunciou dividendos. O papel também se beneficia de pregões positivos para empresas de commodities.

Embraer também acompanhou alta das aéreas e empresas de turismo e subiu 5,6%. Além disso, a empresa anunciou dois acordos com empresas da Austrália que somam 60 encomendas de aeronaves elétricas de pouso e decolagem verticais (eVtol) feitas para a subsidiária Eve Urban.

Rede D’Or caiu 3,2%, Hapvida cedeu 1,8%, SulAmérica recuou 1,4% e Intermédica minguou 0,8%.

CCR subiu até quase 8%, para o maior patamar intradiário desde julho, mas recuou em fechou em alta de 3,1%, após coluna de Lauro Jardim, n’Oo Globo, dizer que a gestora canadense de fundos de pensão CDPQ tem interesse na fatia da companhia detida pela Andrade Gutierrez.

Equipe econômica conseguiu domar principais gastos públicos, repete Guedes (15h32)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, repetiu nesta segunda-feira a avaliação de que a equipe econômica atual teria conseguido domar os principais gastos públicos. “Derrubamos e recontrolamos a trajetória de gastos com previdência, juros, salários do funcionalismo e finalmente essa jabuticaba brasileira, que são os precatórios”, afirmou na cerimônia do Prêmio Tesouro Nacional 2021.

Em rápido discurso na abertura do evento, Guedes voltou a citar a redução do rombo primário em 2021.

“O País tinha um déficit de 2% do PIB quando nós chegamos, reduzimos para 1% em 2019, fomos a 10,5% do PIB em meio à pandemia, esse ano volta a 1% e ano que vem está previsto em 0,5%”, reafirmou o ministro da Economia.

Dow se recupera com impulso de ações cíclicas; Nvidia lidera perdas da tecnologia (14h04)

O índice Dow Jones subia mais de 1% nesta segunda-feira em meio à alta de bancos e ações de energia, ligados à economia, que se recuperavam de quedas acentuadas registradas na semana passada, enquanto os papéis de tecnologia lutavam para manter o ritmo à medida que a Nvidia puxava para baixo as demais fabricantes de chips.

Ações blue-chip, como de Goldman Sachs, 3M Co, Boeing Co e Chevron Corp, subiam mais de 1% e eram responsáveis pelo avanço do Dow Jones.

“Se a força de hoje nas ações blue-chip puder se sustentar, isso poderá dar ao resto do mercado a capacidade de começar a sentir alguma confiança”, disse Robert Pavlik, gerente sênior de portfólio da Dakota Wealth Management.

O índice de tecnologia do S&P 500 recuava 0,1%, puxado para baixo por uma queda de 5,4% nas ações da Nvidia Corp.

Os pares da fabricante de chips Qualcomm Inc e Advanced Micro Devices Inc também caíam, enquanto o índice Philadelphia de semicondutores tinha baixa de 1,5%.

A Tesla Inc recuava 3,1%, pesando no Nasdaq depois que a Reuters noticiou a abertura de uma investigação da Securities and Exchange Commission (SEC, na sigla em inglês; órgão que regula o mercado de capitais dos EUA) sobre denúncias de defeitos em painéis solares da fabricante de carros elétricos.

Às 14:02 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 1,81%, a 35.206,09 pontos, enquanto o S&P 500 ganhava 0,94%, a 4.581,08 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite avançava 0,28%, a 15.127,35 pontos.

BRF, Braskem, CCR e Embraer saltam, enquanto Méliuz mergulha (13h08)

BRF dispara 6,63%, enquanto JBS sobe 0,51% e Marfrig avança 1,68%. As três ações caíram na sexta, após relatório do Bradesco BBI rebaixando a recomendação para os dois papéis.

CCR sobe 5,97%, após coluna do Lauro Jardim, n’O Globo, dizer que gestora canadense de fundos de pensão CDPQ tem interesse na fatia da companhia detida pela Andrade Gutierrez.

Embraer sobe 5,17%, depois de anunciar dois acordos com empresas da Austrália que somam 60 encomendas de aeronaves elétricas de pouso e decolagem verticais (eVtol) feitas para a subsidiária Eve Urban.

Petrobras PN sobe 1,22% e ON avança 1,60%, após o presidente Jair Bolsonaro afirmar, em entrevista ao Poder360, que a empresa deve nesta semana a anunciar redução no preço de combustíveis. A estatal disse que não antecipa decisões de reajustes. O petróleo sobe com a leitura de que a variante ômicron pode impactar menos a economia se os sintomas se provarem não tão graves.

Méliuz afunda 9,06%, após subir mais de 30% na sexta-feira na esteira de divulgação de dados da Black Friday. No setor de tecnologia Locaweb cai 0,78% e Totvs cede 1,15%. As units do Banco Inter avançam 1,06%.

Braskem avançando 7,42% e Rede D’Or caindo 2,49% também são destaques.

Ações europeias esboçam recuperação após semana volátil (7h35)

As ações de petróleo ajudavam a impulsionar uma recuperação no mercado europeu nesta segunda-feira, após perdas acentuadas no fim da semana passada, quando temores sobre a variante Ômicron do coronavírus e perspectivas para a política monetária norte-americana pesaram sobre o sentimento de investidores.

Às 7:34 (horário de Brasília), o índice pan-europeu STOXX 600 subia 0,37%, a 464,46 pontos, com o setor de energia em alta de 1,4%.

Os preços do petróleo subiam mais de 1 dólar o barril, depois que o principal exportador global, Arábia Saudita, aumentou os preços do insumo vendido para a Ásia e os Estados Unidos.

Ajudando a dissipar algumas preocupações sobre a Ômicron, uma autoridade de saúde sul-africana disse no fim de semana que a variante causava infecções leves, enquanto a principal autoridade de doenças infecciosas dos EUA, Anthony Fauci, afirmou à CNN que “não parece haver um grande grau de gravidade” até agora.

  • Em Londres, o índice Financial Times avançava 0,69%, a 7.171,32 pontos;
  • Em Frankfurt, o índice DAX subia 0,18%, a 15.197,85 pontos;
  • Em Paris, o índice CAC-40 ganhava 0,42%, a 6.794,05 pontos;
  • Em Milão, o índice Ftse/Mib tinha valorização de 0,56%, a 26.083,58 pontos;
  • Em Madri, o índice Ibex-35 registrava alta de 0,76%, a 8.304,40 pontos;
  • Em Lisboa, o índice PSI20 valorizava-se 0,32%, a 5.434,89 pontos.

Bolsas da Ásia fecham a maioria em queda, com risco de calote da Evergrande (7h18)

As bolsas da Ásia fecharam a maioria em queda nesta segunda-feira, 6, com o retorno das preocupações quanto à solvência do mercado imobiliário chinês, depois que a Evergrande alertou que pode não ter dinheiro suficiente para pagar uma nova rodada de dívidas. O avanço da variante Ômicron do coronavírus também segue no radar das mesas de operações.

Em comunicado, a incorporadora chinesa informou que não há garantia de que tem recursos em caixa parar honrar obrigações financeiras, após ter sido chamada a pagar US$ 260 milhões em títulos de dívida em dólar.

Os prospectos de um possível calote levaram a ação da empresa a desabar 19,56% em Hong Kong, ao menor nível desde 2010. Com isso, o índice Hang Seng, referência na bolsa do território semiautônomo chinês, encerrou o pregão em baixa de 1,76%, a 23.349,38 pontos.

O papel da Alibaba recuou 5,61%, após a gigante de tecnologia anunciar reestruturação e trocar o comando de sua equipe financeira. Companhias chinesas listadas em Nova York seguiram sob pressão, depois que a Didi Global anunciou que deixaria Wall Street, em meio ao cerco de Pequim.

Na China continental, Shangai cedeu 0,50%, a 3.589,31 pontos, enquanto Shenzhen, de menor abrangência, perdeu 1,22% a 2.495,50 pontos.

Em Taiwan, o Taiex caiu 0,05%, a 17.688,21 pontos.

No Japão, o índice Nikkei baixou 0,36%, a 27.927,37 pontos. SoftBank, que tem exposição considerável a empresas como Alibaba e Didi, despencou 8,20%.

Na contramão, o Kospi subiu 0,17%, a 2.973,25 pontos, em Seul. Os ganhos no setor de eletrônicos ofuscaram os temores quanto à variante Ômicron do coronavírus, que foi confirmada na Coreia do Sul e levou o país a endurecer restrições de viagens.

Já na Oceania, o S&P/ASX 200, de Sydney, registrou leve alta de 0,05%, a 7.245,10 pontos. Ações de energia e indústria subiram 0,6% e 0,7%, respectivamente, enquanto o setor de bens de consumo básicos avançou 1,9% e os serviços públicos ganharam 2,0%. O setor de tecnologia foi o maior entrave do índice, com queda de 2,2%. Com informações da Dow Jones Newswires.

(Com Reuters e Agência Estado)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).