Atualizado às 18h

O Ibovespa fechou esta segunda-feira (4) em baixa de 2,22%, a 110.393 pontos, acompanhando a tendência amplamente negativa dos mercados internacionais. No cenário pesaram, principalmente, a escalada dos preços do petróleo, os receios de piora nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China e a volta de temores envolvendo efeitos de outro calote da chinesa Evergrande.

Em paralelo, a escalada de preços de energia no mundo todo e seus impactos sobre a inflação e sobre a economia também seguiram pressionando a confiança dos mercados.

Além desses fatores externos, colaborou para a queda do Ibovespa o dossiê Pandora Papers, elaborado pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, em sua sigla em inglês), com base em vazamento de documentos de 14 escritórios de advocacia especializados na abertura de empresas em paraísos fiscais. Segundo as investigações, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, mantiveram offshores mesmo depois de entrar no governo.

Já o dólar fechou em alta de 1,43%, a R$ 5,4465. Com isso, a moeda devolveu praticamente toda a queda da sessão anterior, aproximando-se de máximas em cinco meses. Investidores buscaram a segurança da moeda norte-americana, neste dia de forte pessimismo nos mercado. Vale registrar que o real amargou o pior desempenho global nesta sessão.

Ouro fecha em alta, apoiado por enfraquecimento do dólar ante pares (15h33)

O contrato mais líquido do ouro fechou em alta nesta segunda-feira. O ativo se apoiou no recuo do dólar ante moedas rivais. Além disso, há uma certa cautela nos mercados internacionais diante do impasse do teto da dívida americana.

O ouro para dezembro subiu 0,52%, a US$ 1.767,60 onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).

XP firma acordo de acionistas como donos da Itaúsa (14h48)

A XP ficará menos engessada em seu plano de negócio após firmar um novo acordo de acionistas com donos da Itaúsa, holding que controla o Itaú Unibanco, disseram executivos da plataforma de investimentos nesta segunda-feira.

“A XP agora terá menos possibilidade de vetos dos controladores da Itaúsa”, disse a jornalistas o vice-presidente de finanças da XP, Bruno Constantino. A Itaúsa anunciou na última sexta-feira uma reorganização da participação na XP, da qual passou a deter 15,07% das ações classe A.

A mudança levou a um novo acordo de acionistas, por meio do qual acionistas da Itaúsa mantêm direito a ter 2 assentos no conselho de administração da XP.

A XP iniciou nesta segunda a negociação de BDRs (recibos de ações) patrocinados na B3, sob o ticker XPBR31.

Maioria das Bolsas da Europa fecha em baixa, com notícias da China no radar (14h14)

Os mercados acionários da Europa fecharam em queda. Os investidores monitoraram um discurso do vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, e certa cautela com a China pesou nos negócios, com isso mesmo os ganhos do petróleo, que apoiaram algumas ações do setor de energia, não foram suficientes para reverter o tom geral.

  • FTSE, em Londres: -0,23%, a 7.011,01 pontos;
  • DAX, em Frankfurt: -0,79%, a 15.036,55 pontos;
  • CAC 40, em Paris: -0,61%, a 6.477,66 pontos;
  • FTSE MIB, em Milão: -0,60%, a 25.460,80 pontos;
  • Ibex 35, em Madri: -0,09%, a 8.791,70 pontos;
  • PSI 20, em Lisboa: +0,63%, a 5.511,84 pontos.

Ações do Facebook caem em Nasdaq depois de falha em aplicativos (14h09)

Os papéis da empresa, listados em Nasdaq, caíam mais de 5% nesta segunda impulsionados pela instabilidade nos aplicativos WhatsApp, Instagram e Facebook. A empresa afirmou, em nota, que está trabalhando para solucionar o problema.

Petrobras tem maior alta do índice, enquanto Banco Pan e Inter se destacam entre as baixas (13h23)

A Petrobras anunciou na manhã de hoje que abriu a venda de toda sua participação de 20% de um campo offshore no Golfo do México. Isso provocou reação imediata nos preços dos papéis, responsáveis pelas maiores valorizações do índice Ibovespa neste momento: as preferenciais sobem 1,64% e as ordinárias, 1,67%. Além disso, o petróleo está em alta, com contratos futuros do óleo Brent subindo mais de 3%, o que também favorece a companhia.

Vale também vai bem: cresce 0,45%, em pregão em que as baixas predominam. A mineradora avisou que deu início à parada das atividades na mina de Onça Puma, no Pará, após ter sido notificada da suspensão da licença de operação, e que está avaliando impactos da parada.

Já entre as baixas, Banco Inter liderou as perdas – as Units fecharam em queda de 13,42% e as preferenciais caíram 12,95%. De pouco adiantou o banco antecipar a divulgação de prévia do terceiro trimestre, mostrando que manteve o nível de provisões para perdas com inadimplência, dispersando especulações de que faria uma provisão extra.

E o BTG Pactual cai 7,53%, após o anúncio de oferta do Banco Pan (que cai 9,42%, maior queda do índice neste momento) para comprar a Mosaico (que fechou em alta de 5,55%). O BTG controla o Pan e é acionista da Mosaico.

Aversão a risco mantém dólar pressionado (12h45)

O dólar acelerou a alta a partir das 10h e já passa dos R$ 5,43, refletindo o clima de cautela nos mercados globais, em meio a temores sobre inflação e crescimento econômico. Às 12h45, está cotado a R$ 5,4389, alta de 1,42%.

No exterior, o índice do dólar contra uma cesta de moedas caía 0,2% nesta segunda-feira, mas continuava em patamares elevados depois de registrar alta por quatro semanas consecutivas, apoiado em parte pela alta nos rendimentos dos títulos do governo dos EUA.

“As preocupações com atividade econômica e inflação global pesam sobre os negócios”, escreveram analistas do Bradesco, chamando atenção também para expectativas em torno da política monetária nos Estados Unidos, que divulgarão na sexta-feira um importante relatório de emprego. “As condições do mercado de trabalho norte-americano são uma das principais variáveis condicionando o momento do início da retirada de estímulos monetários pelo Fed”.

Além disso, o mercado brasileiro também repercute a notícia de que o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, foram citados em investigações de riquezas acumuladas em paraísos fiscais.

Outro fator de pressão sobre o câmbio é a questão fiscal. Participantes do mercado têm alertado para a falta de recursos dentro do teto de gastos para financiamento de possível prorrogação do auxílio emergencial, que já é discutida por lideranças da Câmara e governo, o que tem afetado o sentimento local nas últimas semanas.

Ações de empresas de saúde caem em meio a denúncias sobre tratamentos contra covid (11h16)

As ações de empresas de saúde estão sofrendo na sessão desta segunda. O movimento de queda começou após denúncias envolvendo a Prevent Senior e Hapvida sobre o uso de cloroquina em pacientes com covid-19. A Prevent é investigada pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

Às 11h02, as ações de três empresas de saúde caíam: Hapvida (-1,41%), SulAmérica (-1,88%), e Grupo NotreDame Intermédica (-2,61%). As ações da Rede D’Or, de hospitais, tinham queda de 2,45%.

Banco Pan lidera alta do Ibovespa e dispara mais de 5% (10h38)

Banco Pan registra a maior alta do Ibovespa nesta segunda-feira (4). Às 10h38, as ações da empresa subiam 5,72%, influenciadas pela aquisição da Mosaico, dona dos sites Zoom, Buscapé e Bondfaro.

O anúncio da compra foi feito no domingo (3). Com a transação anunciada, os maiores acionistas da Mosaico passam a ser executivos do Pan e terão prazo para poderem vender as ações recebidas por um prazo de 18, 24 e 30 meses.

Petrobras diz que começou processo de venda de fatia de empresa no Golfo do México (9h38)

A Petrobras informou nesta segunda que iniciou o processo de venda da totalidade da participação de 20% detida por subsidiária na empresa MP Gulf of Mexico, detentora de campos offshore no Golfo do México.

A empresa MP Gulf of Mexico é uma joint venture com participação de 80% da Murphy e 20% da Petrobras America, criada em outubro de 2018, com o aporte de todos os ativos de petróleo e gás natural em produção no Golfo de ambas as empresas.

A companhia possui participação como operadora ou não-operadora em 14 campos offshore no Golfo do México. A parcela da Petrobras da produção dos campos, no 1º semestre de 2021, foi de 11,3 mil bpd de óleo equivalente.

Banco Inter anuncia prévia de resultados do terceiro trimestre (9h19)

O Banco Inter anunciou uma prévia de seus resultados operacionais do terceiro trimestre na manhã desta segunda. O banco afirmou que atingiu 14 milhões de clientes e que manteve a provisão de perdas por inadimplência constante em relação aos trimestres anteriores em 2,5% da carteira de crédito ampliada.

O anúncio foi feito em meio a rumores de que a empresa faria um provisionamento extraordinário de crédito, o que influenciou no desempenho das ações do banco na semana passada.

Projeção para inflação segue em alta e passa de 8,5% para 2021 (8h54)

O boletim Focus, pesquisa semanal feita pelo Banco Central para saber o que os analistas de mercado e economistas estão projetando para a economia, mostrou um novo aumento para a inflação. Com um aumento pela 26ª semana consecutiva, a projeção passou de 8,45% para 8,51%.

Foram mantidas as projeções para o PIB (Produto Interno Bruto) e Selic deste ano, em 5,04% e 8,25%, respectivamente.

Para 2022, foram mantidas as projeções de PIB, em 1,57%, e Selic, em 8,5%. A inflação passou de 4,12% para 4,14%.

Moral do investidor da zona do euro cai a mínima em 6 meses (8h25)

O sentimento dos investidores na zona do euro caiu pelo terceiro mês consecutivo em outubro e atingiu seu nível mais baixo desde abril devido ao enfraquecimento das expectativas econômicas, revelou uma pesquisa nesta segunda-feira.

O índice da Sentix para a zona do euro caiu para 16,9, ante 19,6 em setembro. A expectativa em pesquisa da Reuters era de leitura de 18,6 em outubro.

Bolsas asiáticas fecham em baixa de olho em Evergrande e política japonesa (8h23)

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta segunda-feira (4) enquanto investidores seguem acompanhando a situação da Evergrande, a endividada gigante do setor imobiliário chinês, e o cenário político no Japão após a confirmação de Fumio Kishida como novo primeiro-ministro do país.

Em Hong Kong, o Hang Seng teve queda de 2,19% hoje, a 24.036,37 pontos, na volta de um feriado. O tombo veio após a suspensão de negócios com ações do grupo Evergrande e da subsidiária Evergrande Property Services, que revelou esperar receber uma proposta de aquisição.

Em Tóquio, o Nikkei caiu 1,13%, a 28.444,89 pontos, pressionado por ações de tecnologia e de transporte marítimo. Como se previa, Fumio Kishida foi eleito hoje primeiro-ministro do Japão, após conquistar a liderança do governista Partido Liberal Democrático (PLD), na semana passada.

No mercado taiwanês, o Taiex também ficou no vermelho, com baixa de 0,98%, a 16.408,35 pontos.

Já na China continental e na Coreia do Sul, não houve negócios nesta segunda-feira em razão de feriados.

Na Oceania, a bolsa australiana ignorou o tom negativo da Ásia e mostrou bom desempenho, com ganhos liderados por empresas que devem se beneficiar mais com a gradual retirada de restrições motivadas pela pandemia de covid-19. O S&P/ASX 200 avançou 1,29% em Sydney, a 7.278,50 pontos.

(Com Agência Estado e Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).