Atualizado às 18h30

Banco do Brasil e do BTG Pactual divulgaram balanços que animaram o mercado em um primeiro momento. A avaliação é que os dois bancos mostraram dados acima do esperado. Às 11h01, as ações do Banco do Brasil subiam 2,41% e as do BTG Pactual tinham alta de 2,92%. Porém, ao longo do pregão os dois papéis perderam fôlego e acabaram invertendo o sinal, fechando em baixas de 0,14% e 4,18%, respectivamente.

O Banco do Brasil reportou lucro recorrente do banco de R$ 5,139 bilhões, alta de 47,6% em comparação ao ano anterior, enquanto os analistas esperavam um  lucro de R$ 4,496 bilhões.

“O Banco do Brasil acaba de apresentar bons resultados em todos os sentidos, com o crescimento de sua carteira de crédito refletindo em um faturamento mais alto, enquanto suas despesas se mantiveram baixas (levando a o índice de eficiência mais baixo da história do banco), o que levou ao crescimento do lucro operacional em 53% ano a ano, sendo assim 19% acima das nossas expectativas, apesar do maior provisionamento”, afirma relatório da XP.

Para a Genial Investimentos, outro destaque positivo foi a despesa com pessoal que veio sob controle apesar do dissídio de 11% no salário dos bancários. “A despeito do bom resultado em geral, o custo de financiamento (custo de funding que entra na receita de juros), subiu 105% a/a. Custo esse que deverá acompanhar a alta da Selic e pode pressionar as receitas do BB nos próximos trimestres”, afirma relatório da casa.

O BTG também teve lucro líquido do acima das estimativas dos analistas, ajudado por empréstimos corporativos, ganhos com trading e taxas do mercado de capitais.

O lucro líquido recorrente somou R$ 1,794 bilhão, um aumento de 76,6% em relação ao ano anterior e contra uma estimativa de analistas compilada pela Refinitiv de R$ 1,574 bilhão.

(Com Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).