Atualizado às 19h04

O balanço do terceiro trimestre da Stone decepcionou os investidores. Em resposta, as ações da companhia listadas na bolsa de Nasdaq, nos Estados Unidos, fecharam o dia em baixa de 34,62%.

A queda foi motivada pelo resultado reportado pela Stone: o lucro líquido ajustado ficou em R$ 132,7 milhões no trimestre, uma queda de 53,9% sobre o resultado de um ano antes.

Para o Credit Suisse, a Stone foi prejudicada pela falta de receitas de crédito, pelo aumento das despesas operacionais e financeiras, influenciadas pelo aumento da Selic. Segundo o banco, a Stone pretende aumentar os preços de seus serviços entre novembro e dezembro para compensar a situação.

“No entanto, não está claro como essa iniciativa será suficiente para reverter a tendência da margem no curto prazo, principalmente porque os custos operacionais, com investimento em marketing, novos espaços e soluções, estão aumentando”, afirma relatório.

A companhia apurou uma geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 473,3 milhões de julho ao fim de setembro, queda anual de 8%.

Analistas, em média esperavam lucro líquido de R$ 193 milhões para a Stone no terceiro trimestre, segundo dados da Refinitiv. O resultado veio depois que a rival PagSeguro divulgou na semana passada alta de 22% no lucro líquido do terceiro trimestre, a R$ 321,5 milhões.

A Stone encerrou setembro com 1,39 milhão de usuários ativos de pagamentos, mais que o dobro em relação aos 655,5 mil do terceiro trimestre de 2020. As transações somaram R$ 75 bilhões no período, crescimento de 7,6%, segundo o balanço.

(Com Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).