As vendas do comércio varejista caíram 0,1% em outubro, na comparação com setembro, na terceira retração mensal consecutiva, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta (8). O resultado veio abaixo do esperado e representa o terceiro declínio numérico seguido ainda sob impacto da inflação.

Na comparação com outubro do ano passado, a queda foi de 7,1%. No acumulado do ano, o comércio tem alta de 2,6%. Nos últimos 12 meses, a alta registrada é também de 2,6%, segundo o IBGE.

“O resultado veio bem abaixo das expectativas. Nossa projeção era de alta de 0,8%, a mediana era de 0,6%, mas a variação no mês veio em queda de 0,1%. Este dado mostra que o quarto trimestre começou mal, reforça a perspectiva de desaceleração e reforça a perspectiva de juros mais baixos. Fatalmente o Banco Central não deve subir a Selic tanto quanto o mercado imagina”, disse André Perfeito, economista-chefe da Necton.

Os resultados negativos foram registrados em cinco das oito atividades investigadas pela pesquisa.

“Já vimos há alguns meses o setor de hiper e supermercados, que tem um peso grande, puxando o índice para cima. Mas não foi o que aconteceu em outubro, mês em que tivemos um equilíbrio entre os setores”, explica o gerente da pesquisa, Cristiano Santos.

As variações mais intensas foram registradas pelos setores de livros, jornais, revistas e papelaria (-1,1%), móveis e eletrodomésticos (-0,5%), combustíveis e lubrificantes (-0,3%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,3%).

O segmento de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,1%) também ficou estável na passagem de setembro para outubro.

Já os setores que cresceram no período foram tecidos, vestuário e calçados (0,6%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,4%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (5,6%).

O comércio varejista ampliado registrou recuo de 4,0% no segmento de veículos e motos, partes e peças e de 13,7% no setor de material de construção.

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).