As vendas no setor de varejo caíram 0,1% em dezembro. O resultado surpreendeu: esperava-se um crescimento positivo, no embalo dos saques do FGTS, saldões da Black Friday e 13º salário. O dado foi divulgado nesta quarta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

No fechamento do ano, o desempenho do varejo foi positivo: em 2019 houve uma alta de 1,8% na comparação com 2018.

O que os números querem dizer? “O comércio ainda não se recuperou totalmente da crise de 2015 e 2016, mas está em seu momento mais elevado desde outubro de 2014”, explica a gerente da pesquisa, Isabella Nunes. Olhando o resultado anual, ela cita como importante a liberação dos saques nas contas do FGTS a partir do mês de setembro e a melhoria na concessão de crédito à pessoa física são alguns fatores que podem ter influenciado esse resultado no segundo semestre.

Que categorias tiveram resultado negativo em dezembro? Seis das oito consideradas pelo IBGE. São elas:

  • Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,2%)
  • Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-2,0%)
  • Tecidos, vestuário e calçados (-1,0%)
  • Artigos de escritório (-10,9%)
  • Combustíveis e lubrificantes (-0,4%)
  • Artigos de uso pessoal

Que categorias tiveram resultado positivo? Principalmente, móveis e eletrodomésticos (3,4%).

Varejo ampliado:  o varejo ampliado, que considera o setor automobilístico e construção civil, registrou queda de 0,8%. Em dezembro, a venda de veículos, peças e autopeças recuou 4% e de matérias de construção, 1,1%.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.