Depois de um terceiro trimestre forte, a Vale vai reduzir a oferta de minério de ferro de qualidade inferior devido à queda dos preços do insumo siderúrgico.

A produção da mineradora superou a previsão de analistas e também ficou acima tanto do volume no trimestre anterior quanto na comparação anual, em contínua recuperação após o rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho no início de 2019 e com a ajuda do clima favorável.

Mas a Vale busca proteger as margens já que os futuros do minério de ferro acumulam queda de mais de 40% em relação ao pico de meados de julho. A matéria-prima também é marcada por alta volatilidade em meio a restrições da China à produção de aço e preocupações com o mercado imobiliário do país.

“A estratégia de produção e vendas é baseada nas condições de mercado, priorizando o “value over volume”, com foco na maximização de margem”, disse a mineradora no relatório desta terça-feira.

A mineradora produziu 89,4 milhões de toneladas no terceiro trimestre, enquanto a estimativa média de analistas apontava para 87,3 milhões de toneladas, mostrando que a recuperação continua, apesar da lentidão nas licenças de suas operações no norte do Brasil. O volume da Vale poderia ajudar a compensar o corte na estimativa de embarques da Rio Tinto anunciado na semana passada e a queda da produção da BHP.

Mas as vendas da Vale ficaram apenas ligeiramente acima dos trimestres anteriores e abaixo da produção. A empresa vai reduzir a oferta de minérios de margem inferior para 4 milhões de toneladas no quarto trimestre e, possivelmente, outros 12 milhões a 15 milhões de toneladas no próximo ano. Embora a estimativa de produção para 2021 tenha sido mantida, é provável que fique abaixo do meio do intervals de 315 a 335 milhões de toneladas.

O cenário-base da Bloomberg Intelligence mostra um mercado de minério de ferro com excesso estrutural de oferta no final de 2022, com excedentes até 2024. O retorno de volumes da Vale, que embarca minério de alta qualidade, deve responder pela maior parte do crescimento da oferta.

Na quarta-feira, os futuros do minério de ferro eram negociados com alta de 0,8%, cotados a US$ 123,40 a tonelada às 10h22 de Singapura.

Problemas com níquel

A Vale também é uma das maiores produtoras de níquel do mundo e uma importante fornecedora de cobre. A produção de ambos os metais caiu após uma greve no complexo de Sudbury, com corte anual do guidance de produção para ambos os metais. A empresa espera que as operações de Sudbury sejam normalizadas este mês e retomadas no complexo Totten no início do ano que vem, após os reparos no sistema de acesso à mina onde 39 funcionários ficaram presos e foram resgatados em setembro.

A Vale divulga balanço em 28 de outubro.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).