SÃO PAULO (Reuters) – O conglomerado de empresas Ultrapar deve encerrar 2021 com uma carteira de ativos diferente do começo do ano, afirmou o presidente da companhia, Frederico Curado, em reunião com analistas e investidores nesta sexta-feira.

Além da entrada do grupo em área de refino de petróleo, por meio da compra da Refap, da Petrobras, até meados do ano, o portfólio de ativos da Ultrapar pode passar por outras ações de alocação de capital, disse o executivo.

“Temos meta até julho de assinatura do contrato da Refap e isso por si só já é um megadesenvolvimento no nosso portfólio”, disse Curado ao ser questionado sobre o perfil de ativos do grupo no final deste ano.

“Outros movimentos talvez aconteçam até o final do ano. Vamos terminar 2021 com uma cara diferente da que começamos”, acrescentou, sem dar detalhes.

No início de maio, ele já havia mencionado que a empresa de especialidades químicas da Ultrapar, Oxiteno, “não está exatamente” na cadeia de valor que o grupo tem buscado se concentrar, mais voltada para as outras empresas do portfólio, incluindo Ipiranga, Ultragaz e Ultracargo.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).