A Turkish Airlines colocará pilotos estrangeiros em licença não remunerada, segundo e-mails da empresa a que a Bloomberg teve acesso. A medida tem o objetivo de minimizar o mpacto da pandemia do coronavírus nas finanças da companhia aérea.

Por e-mail, ela avisou os tripulantes estrangeiros que a licença começa em 1º de novembro e que a decisão será reavaliada em seis meses. Os e-mails da empresa não informam quantos pilotos serão afetados.

Também não fica claro se os pilotos turcos serão afetados. Um porta-voz da companhia não quis comentar. O sindicato que representa cerca de 75% dos 30.000 funcionários da companhia aérea não pode ser contatado durante o fim de semana.

O Airport Haber, um site de notícias do setor de aviação, foi o primeiro a relatar o plano da companhia na quarta-feira.

As ações da Turkish Airlines tiveram desempenho inferior ao do índice BIST 100 da Turquia neste ano

Como as companhias aéreas em todo o mundo, a Turkish Airlines foi atingida por uma combinação de fechamentos de fronteiras e queda nas viagens durante a pandemia. EA empresa informou um prejuízo de 2,23 bilhões de liras (US $ 280 milhões) no segundo trimestre, com o número de passageiros caindo em quase dois terços neste ano.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).