Por P.J. Huffstutter

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do trigo em Chicago caíram mais uma vez nesta sexta-feira, após uma semana volátil em que os preços despencaram junto ao temor dos investidores sobre o impacto econômico da variante Ômicron do Covid-19, disseram traders.

Os preços do trigo se estabilizaram no início da sessão, mas depois começaram a cair novamente com a notícia de que o crescimento do emprego nos EUA desacelerou consideravelmente em novembro.

A soja subiu, atraindo apoio de sinais de demanda chinesa renovada e questões sobre as condições climáticas na América do Sul. O milho disparou, com a força do petróleo sustentando a safra amplamente utilizada na produção de etanol nos EUA.

“Esta é a época do ano em que o mercado realmente começa a olhar mais de perto para a América do Sul, e as conversas sobre o clima de que tem mais calor e seca”, disse Daniel Smith, gerente de risco sênior da Top Third Ag Marketing em Chicago.

Na bolsa de Chicago, o contrato mais ativo do trigo fechou o dia em queda de 11,25 centavos de dólar a 8,0375 dólares o bushel. O contrato registrou perda semanal de 6,27%.

A soja fechou em alta de 23 centavos de dólar a 12,6725 dólares o bushel. O contrato marcou um ganho semanal de 1,2%. E o milho fechou o dia com avanço de 7,25 centavos de dólar a 5,84 dólares o bushel – mas o contrato registrou perda semanal de 0,47%.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).