Por Christopher Walljasper

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros de trigo negociados em Chicago subiram 2% nesta terça-feira, fortalecidos por preocupações com a oferta global em meio à forte demanda, enquanto o dólar americano mais fraco apoiou o comércio dos Estados Unidos.

O milho subiu após um declínio semanal nas condições da safra dos EUA, relatado pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês).

A soja foi negociada tanto no positivo como no negativo, antes de recuar com a pressão da colheita norte-americana.

O contrato do trigo mais ativo avançou 13,75 centavos de dólar, para 7,0075 dólares o bushel, o maior ganho diário desde 18 de agosto.

O milho subiu 7 centavos de dólar para 5,2025 dólares o bushel, enquanto a soja recuou 2,25 centavos de dólar para 12,8250 dólares o bushel.

A França, maior produtor de grãos da União Europeia, cortou sua estimativa de produção de trigo soft em mais de 600 mil toneladas nesta terça-feira, para 36,06 milhões de toneladas, citando o clima úmido do verão no Hemisfério Norte.

As condições de seca do Canadá prejudicaram a colheita de trigo ainda mais do que se esperava semanas atrás, de acordo com um relatório da Statistics Canada que estimou a produção do cereal de primavera em 15,3 milhões de toneladas, queda de 41% ano a ano.

(Reportagem de Christopher Walljasper)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).