BUENOS AIRES (Reuters) – Trabalhadores do setor de oleaginosas e empresas agroexportadoras da Argentina fecharam um acordo nesta quinta-feira para a implementação de um bônus pelo trabalho realizado em 2020, durante a pandemia de coronavírus, cuja negociação havia ocorrido em dezembro, disse o sindicato SOEA, que chegou a ameaçar uma greve caso as partes não se acertassem.

O Sindicato dos Trabalhadores e Empregados de Oleaginosas representa os funcionários das unidades de processamento localizadas ao norte de Rosário, polo agroindustrial e agroportuário da Argentina –que, por sua vez, é a maior fornecedora de óleo e farelo de soja do mundo.

“Fechamos um acordo com as empresas”, disse à Reuters o secretário do SOEA, Daniel Succi, após uma reunião com representantes de companhias setor agroexportador argentino. O sindicalista acrescentou que os trabalhadores não realizarão nenhuma medida de força.

Em dezembro, os embarques agrícolas da Argentina foram praticamente paralisados devido a uma série de greves do SOEA e de outro sindicato de trabalhadores do setor de oleaginosas, além da entidade que representa inspetores de grãos nos portos.

Atualmente, proprietários de caminhões também têm realizado protestos nas rotas até os terminais portuários, dificultando o transporte de grãos.

(Reportagem de Maximilian Heath)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).