A pandemia do novo coronavírus também prejudicou a contribuição para a Previdência Social no País. No primeiro semestre de 2020, 4,174 milhões de trabalhadores deixaram de contribuir para a Previdência, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No primeiro trimestre, 970 mil trabalhadores ocupados já tinham deixado de contribuir para a Previdência Social. No segundo trimestre, essa perda foi de 3,204 milhões de trabalhadores contribuintes, para um total de 55,220 milhões.

Segundo estimativas do IBGE, o Brasil tem aproximadamente 212 milhões de habitantes. Ou seja, apenas um em cada quatro brasileiros estão contribuindo para a Previdência.

Na passagem do trimestre encerrado em março para o trimestre terminado em junho, foram exterminadas 2,942 milhões de vagas com carteira assinada no setor privado. Em um ano, 3,059 milhões de postos de trabalho formais foram extintos.

O total de vagas com carteira assinada no setor privado desceu para 30,154 milhões no trimestre terminado em junho, o menor patamar da série histórica iniciada em 2012.

“A gente percebe que são mudanças muito fortes no mercado de trabalho que foram provocadas pela condição sanitária”, disse Adriana Beringuy, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).