SÃO PAULO (Reuters) – A produção de soja do Brasil deve alcançar o recorde de 132,77 milhões de toneladas, estimou nesta segunda-feira a consultoria StoneX com um leve ajuste na projeção ante os 132,6 milhões vistos anteriormente, enquanto a expectativa para o milho foi elevada em quase um milhão de toneladas.

“Essa pequena elevação (na soja) ocorreu pelo ajuste na produtividade de estados como Pará, Maranhão, Piauí e São Paulo, além do Rio Grande do Sul, onde o maior volume de chuvas melhorou as perspectivas”, afirmou a analista de inteligência de mercado da StoneX Ana Luiza Lodi em nota.

Por outro lado, no Paraná, houve uma redução do potencial produtivo, em pouco mais de 800 mil toneladas, o que impediu um crescimento maior do volume nacional, acrescentou a consultoria.

Segundo a StoneX, o clima em fevereiro ainda precisa ser acompanhado, não só quanto à viabilização da colheita da oleaginosa, mas também em relação ao desenvolvimento do que foi semeado mais tarde.

No entanto, Ana Luiza ressaltou que “esse potencial resultado (da soja) não significa um grande alívio para o balanço mundial, com o Brasil devendo ter exportações acima de 80 milhões de toneladas, além da continuidade do crescimento da demanda doméstica”.

A consultoria calcula as exportações brasileiras em 82 milhões de toneladas e demanda doméstica em 48 milhões de toneladas (contra 83 milhões e 46,5 milhões, respectivamente, no ciclo 2019/20). Com isso, os estoques finais totalizariam 3,28 milhões de toneladas.

No milho, as expectativas para a produção total no ciclo 2020/21 foram elevadas para 110,22 milhões de toneladas, contra 109,34 milhões na última estimativa.

As estimativas da StoneX para a safra de milho verão aumentaram de 25,32 milhões para 26,20 milhões de toneladas. A “safrinha” segue projetada em 82,38 milhões de toneladas, e a consultoria ainda considera um número da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a terceira safra, de 1,64 milhão de toneladas.

“As condições climáticas em fevereiro, principalmente no Centro-Oeste, serão fundamentais para a produção de milho nesta temporada”, disse a StoneX.

“Já é esperado que uma parte considerável da safrinha seja semeada fora da janela ideal de plantio e caso o clima prejudique o avanço da colheita de soja na região, os riscos para a safra de inverno poderão ser intensificados.”

(Por Nayara Figueiredo)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).